quarta-feira, 31 de dezembro de 2014

A PERSEVERANÇA É O CAMINHO PARA A VITÓRIA



Certas pessoas têm muitas iniciativas e poucas “acabativas”. A primeira vez que ouvi essa frase a achei engraçada. Depois, pensando melhor, vi que ela pode ser mais trágica do que cômica. A maioria de nós inicia muito e conclui pouco.
Se existe uma época pródiga em revelar esta verdade, essa é o final de um ano e início de outro. O final nos faz lembrar que projetamos muito e realizamos pouco. O início manifesta a renovação de nosso entusiasmo em almejar muito.
Mas por que esta busca é abandonada no meio do caminho?
Creio que não seja por falta de capacidade ou oportunidade, mas por falta de perseverança. Cedemos facilmente diante dos obstáculos e problemas que aparecem entre nós e nossas metas.
Geralmente abandonamos nossos sonhos diante das primeiras dificuldades. Ao invés da resistência, cultivamos a desistência. Não chegamos às grandes conquistas, não experimentamos grandes vitórias, ficamos sempre no meio do caminho, tornamo-nos medianos, aceitamos a mediocridade e nos satisfazemos com ela.  Tudo isso porque nos faltam coragem para ultrapassarmos as barreiras, disciplina para enfrentarmos os desafios e a consciência de que sem luta não há vitórias.
Há uma história nas Escrituras que nos mostra que a perseverança pode ser um instrumento tocado por Deus para produzir em nós e através de nós o som da vitória.   Ela é narrada duas vezes, em 2º Samuel 23.8-12 e 1º Crônicas 11.10-14 onde são alistados os valentes de Davi.
O termo “valente” era usado para adjetivar quem realizava uma façanha incomum e se destacava em qualquer área de atividade. Nos textos mencionados, indica os guerreiros mais destacados,  os campeões do exército de Davi.
Três destes heróis ganharam a posição de proeminência por causa das conquistas nos campos de batalha. O primeiro deles numa só batalha matou 800 homens com sua lança. Para entender um pouco deste feito, é preciso ter em mente como eram as batalhas naquele tempo. Bem parecidas com as que são encenadas nos filmes da trilogia Senhor dos Anéis e o Hobbit, onde um soldado luta contra vários outros ao mesmo tempo com seu escudo, espada ou lança.
Mas, para evidenciar a proposta desta meditação quero enfatizar a ação dos outros dois. Os exércitos de Israel e dos filisteus estavam reunidos para a batalha, mas os soldados israelitas não resistiram e bateram em retirada. No entanto, Eleazar permaneceu ao lado de Davi e lutou tanto que teve uma espécie de câimbra e não consegui mais soltar a espada.  O texto diz que naquele dia Deus realizou um grande livramento e os outros soldados voltaram apenas para  aproveitar os despojos.
 O terceiro valente foi Sama. Também numa guerra contra os filisteus na qual os soldados israelitas fugiram. Mas ele se plantou no meio do terreno e bravamente resistiu, resgatando aquela terra das mãos dos inimigos. Novamente o texto menciona o grande livramento realizado pelo Senhor.
Nos dois casos houve luta ferrenha, desistência da maioria e alguns que perseveraram na batalha, mesmo sendo poucos e a peleja feroz. Estes heróis tiveram a coragem de se arriscar por um bem maior, a causa do reino do Senhor, representada naquela época na manutenção e expansão do reinado davídico.
Em ambas as ocasiões Deus estava atuando através da ação humana. A resistência e perseverança daqueles homens foram os meios para Deus operar o livramento de Seu povo.  O escritor do livro menciona estes atos para mostrar como Deus honra o esforço daqueles que permanecem fieis em prol do Seu Reino.
A causa final do grande livramento foi a ação de Deus, mas Ele a realizou através da coragem resistente e perseverante de Eleazar e Sama. Se eles tivessem também fugido diante do ataque filisteu, não teriam desfrutado a vitória. A perseverança foi o caminho trilhado por Deus para conduzi-los à glória.
Pode ser que em 2015 você se depare com situações semelhantes. Lutando sozinho pelos seus alvos. Se realmente vale a pena, se é de Deus, não desista, persista, resista, lute com coragem. Ele irá lhe conceder a vitória.  Lembremos de que, se somarmos as desistências de cada ano, poderemos chegar ao final da vida vazios de realizações e cheios de frustrações,  pois nossos alvos não passaram de boas intenções. Deus pode realizar grandes feitos através da nossa perseverança em continuar lutando.







Um comentário:

Raimundo Nonato Rodrigues disse...

obrigado, tava desistindo de algo que sei que posso suportar por mais algum tempo nesta luta, que por ora é angustinte, frustrante e sem perspectiva de término, mas permanecerei lutando, ainda mais que 'pessoas são mais importantes do que coisas...'