sábado, 26 de junho de 2010

Seu filho precisa de EXEMPLO


O método através do qual aprendemos de forma mais eficaz é a imitação. Todos nós aprendemos por imitarmos outras pessoas. Desde pequeno estamos olhando para como os outros fazem, para então fazermos também. Creio que você já observou um grupo de adultos conversando, e alguém conta algo engraçado e todos dão risadas, se houver uma criança perto, ela também irá rir, mesmo sem entender nada, apenas pela imitação. Você já deve ter visto seu filho fazendo coisas que você faz, mesmo que estas coisas não sejam de crianças, por exemplo: o manuseio de uma ferramenta, o sentar-se ao volante do carro e fingir dirigir, etc.

Paralelo a isto podemos dizer que uma das maneiras mais eficazes de ensinar é pelo exemplo. É bem conhecido o ditado que diz: tua vida fala tão alto que não posso ouvir o que você diz. Se nossos filhos aprendem por imitação, então eles precisam de bons exemplos para aprenderem coisas boas. Caso contrário,

estarão aprendendo dos maus exemplos.

O livro de Provérbios enfatiza esta verdade de que os filhos precisam de bons exemplos da parte dos pais. No capítulo 14 verso 26 diz “No temor do SENHOR há firme confiança e ele será um refúgio para seus filhos.Duas verdades são colocadas aqui, e a segunda é resultado da primeira: temer a Deus é fator de segurança, quando obedecemos a Deus nós temos esperança de uma vida segura e confiante; o resultado disso é que o homem que teme a Deus será um lugar de refúgio para seus filhos. Seus filhos poderão confiar nele, correrão para ele nos momentos tempestuosos da vida e encontrarão um abrigo seguro. Um pai que obedece a Deus tanto desfruta de segurança quanto passa segurança para seus filhos. E assim mostra para eles, que uma vida segura depende de confiar em Deus.

Também no livro de Provérbios 20.7 está escrito: “O justo anda na sua integridade; felizes lhe são os filhos depois dele.” Novamente podemos ver duas verdades afirmadas, uma como conseqüência da outra. Aquele que é justo manifesta isso em sua maneira de viver, ele vive de acordo com a verdade e a justiça, conforme aquilo que é certo, correto. Esta maneira correta de andar traz felicidade para os filhos.

Os pais precisam estar cientes de que os filhos sofrem os resultados de suas escolhas, de seu modo de vida. Pais que não vivem de acordo com a justiça de Deus, estão semeando aquilo que os filhos vão colher. Pais que vivem em mentiras, vícios, brigas, que são beberrões, além de passarem um exemplo ruim, também estão estragando sua própria saúde, causando prejuízos financeiros, trazendo vergonha e desarmonia para a família, e assim estão prejudicando seus filhos.

Já pais que vivem de forma correta, da maneira como Deus estabeleceu, além do exemplo, terão tempo, conhecimento e respeito para influenciarem seus filhos para o que é bom. E assim estão plantando os frutos da felicidade para os filhos.

Estamos acostumados a pensar que apenas os filhos são o orgulho dos pais, mas o livro de Provérbios nos diz que os pais também são o orgulho, a glória e a beleza de seus filhos. No capítulo 17 verso 6 é dito que o orgulho dos filhos são seus pais. A maneira dos pais procederem mostrará para os filhos o que eles devem valorizar e achar bonito. Sabemos que alguns filhos sentem vergonha de seus pais, isto é devido ou ao modo como seus pais se comportam, ou aos valores invertidos que eles comunicaram para os filhos.

Em Provérbios 31.28 é dito que os filhos da mulher virtuosa a chamam feliz, isto é abençoada. Isto demonstra que os filhos reconhecem a virtude que há nesta mulher. E eles se sentem felizes e orgulhosos com a virtude de sua mãe.

Há alguns anos ouvi uma história bem ilustrativa. Um avô que morava com a família já não tinha mais o controle de seus músculos. Por isso na hora da refeição, babava, derrubava as coisas, e deixava a mesa suja. Sem mais suportar aquilo seu pai decidiu colocá-lo numa mesa longe do restante da família, e fez para ele prato de madeira. Alguns dias depois viu seu filho pequeno tentando manusear ferramentas e um pedaço de madeira, e perguntou o que o filho queria fazer. Este respondeu: um prato para quando o senhor ficar velho como o vovô.

Nossos filhos aprenderão conosco. A questão não é se estamos ensinando, de fato estamos ensinando, mas sim o que estamos ensinando. Nossos filhos nos imitarão, a questão não é se nossos filhos vão nos copiar, eles vão nos imitar, a questão é o que estamos deixando para ser imitado. Quanto de nós já não nos pegamos a repetir palavras e jeitos de nossos pais? Mesmo de forma inconsciente eles nos formaram. E nós também estamos formando nossos filhos. E eles precisam de pais que sejam exemplos, bons exemplos.

domingo, 6 de junho de 2010

SEU FILHO PRECISA DE DISCIPLINA -2ª PARTE






Uma das funções inerentes à paternidade é a de disciplinar. Ser pai significa ter que corrigir e orientar os filhos. Alguns pais não querem assumir esta responsabilidade, mas isto é cometer o pecado de omissão. Como visto no artigo passado, a Bíblia exorta os pais a disciplinarem seus filhos. Vamos continuar nosso estudo, observando como deve ser esta disciplina conforme o livro de Provérbios.

A disciplina deve ser aplicada enquanto há esperança de correção, mas sem excesso. Isto é ensinado em Provérbios 19.18. A palavra traduzida como “castiga” é o termo “disciplina” que estamos estudando. Neste versículo percebemos que a disciplina implica em certo castigo físico, algo que provoca dor ou desconforto na pessoa disciplinada. Mas também notamos que ela só é eficaz quando há esperança. Isto nos mostra que, depois de certo tempo a disciplina não mais funciona. Além disso, o versículo nos adverte para não exagerar na aplicação da disciplina, de modo que venha a destruir o filho. O alvo da disciplina deve ser o de edificar, corrigir, educar a criança, não destruí-la. Alguns pais disciplinam seus filhos quando estão com raiva e nervosos, usando palavras e gestos grosseiros, e assim ao invés de educar, acabam por ferir e destruir a estima e esperança de seus filhos. A disciplina deve ser aplicada com calma, sem perder de vista seu propósito, que é a edificação e a correção.

A disciplina produz filhos com juízo. Em Provérbios 22.6 diz que a falta de juízo, isto é a incapacidade de agir com bom senso, está unida ao coração da criança. Isto é muito interessante, pois nossas idéias normalmente são de que as crianças são ingênuas e até boazinhas. Mas a Palavra de Deus diz que elas já carregam a falta de bom senso. E a solução para isso é a disciplina, que vai manter a criança longe do erro. Pais que disciplinam estão ensinando seus filhos a agirem com juízo e bom senso.

Provérbios 29.15 confirma a mesma verdade acima, só que focalizando o lado positivo. A disciplina produz sabedoria nos filhos. Neste verso é confirmado que a vara (disciplina física) acompanha a correção, e que o uso das duas dão sabedoria à criança. Para se ter um filho sábio é preciso usar o castigo e a disciplina. Nossa natureza tende para a insensatez, não buscamos a sabedoria por iniciativa própria. Você já deve ter percebido que o que é errado não é preciso ensinar, a criança aprende sem que ninguém ensine. Nossos filhos surgem com palavras, gestos e comportamentos atrevidos e errôneos, que nunca ensinamos. Mas o que é certo dá trabalho para a criança aprender, tem que reforçar o ensino com disciplina.

Outra verdade atestada pelo mesmo versículo é que a criança deixada sem disciplina, isto e, deixada por si mesma, em liberdade, vai trazer vergonha para seus pais. Quantos pais são envergonhados pelo comportamento dos filhos! Na escola, mesmo nas igrejas, e outros lugares, eles têm que agüentar a vergonha que os filhos lhes trazem com suas atitudes, e isto porque não disciplinaram.

A disciplina livra a alma do inferno. Isto nos é dito em Provérbios 23.13 e 14. Nossos pecados nos levam à morte eterna, esta é uma verdade atestada na Bíblia. Pais que disciplinam seus filhos estão lhes prestando um valor eterno. Pois com a disciplina estes meninos serão corrigidos, e assim não perderão suas almas, não irão para o inferno.

A disciplina faz bem aos pais. Em Provérbios 29.17 vemos que a disciplina, além de produzir efeitos nos filhos, traz bons resultados para os pais. Pais que disciplinam seus filhos vão colher descanso e delícias. Isto é, não terão as preocupações de filhos trabalhosos, e sim o prazer e a alegria causadas por filhos bem criados.

A escolha é de cada pai: disciplinar ou não seu filho. E assim ele também está escolhendo se vai ter vergonha ou alegria. Se não disciplinar vai passar vergonha. Mas se disciplinar vai ter alegria.