domingo, 28 de agosto de 2016

UMA MORADA SEGURA NOS BRAÇOS DO ETERNO


            Penso que há duas situações nas quais carregaremos alguém nos braços: a primeira é em caso de extrema necessidade, em que a pessoa, precisando de socorro,  não possa caminhar; a segunda, é quando estamos muito alegres com a pessoa que queremos demonstrar nossa afeição e admiração.
            Exemplificando: alguém sofre um acidente e em decorrência disso, fica sem poder se locomover e necessita de que um socorrista o tome e o carregue nos braços para que seja atendido. Alguém também pode ser carregado nos braços como forme de festejar uma conquista, como na final de um campeonato esportivo, ou ainda como uma demonstração de amor, como faz o noivo com sua amada.     
Na verdade, há vezes quem as duas situações podem estar entrelaçadas. Quando uma mãe pega o filho que caiu e o carrega em seus braços, ela o faz como socorro e como demonstração de seu amor.
            Porém com nossos braços tão frágeis e limitados, não conseguimos carregar alguém para sempre, nem socorrê-lo em todas as situações. Quando criança, experimentei isso. Certa vez, precisei fazer uma caminhada um tanto longa com minha mãe. Naquele momento, ela estava sem condições de me carregar, mas um amigo adulto me levou nos braços.  Chegamos bem mais rápido, e eu não me cansei. Mas, esse amigo não pode voltar conosco, e tive que fazer toda caminhada a pé. Como senti falta daquele braço amigo!
            Estar em braços confiáveis é uma situação de extremo conforto.     Lembro-me ainda de quando uma de minhas filhas estava brincando e caiu.  Logo veio chorando para os meus braços. Estar nos meus braços não mudou o fato de ela ter caído, não tirou a dor que sentia, mas lhe serviu de conforto e segurança.
            Há situações na vida que ansiamos muito por um braço que nos carregue e nos conforte, que nos transmita a sensação de que não precisamos temer, que nos forneça a certeza de que estamos seguros e de que somos amados. Experimentamos momentos de choque e paralisia. Situações em que não conseguimos caminhar e que parece que nosso mundo desabou. Ah, quanto precisamos de braços amorosos e fortes que nos carreguem e consolem!   
Mas, há, de fato, braços suficientemente fortes para nos proteger em toda situação? E grandes o suficente para sempre nos socorrer?
            A resposta da Bíblia é que sim: os braços de Deus.
            Estes são atuantes, poderosos e gloriosos (Sl 89.13; Is 63.12). Muitas vezes eles são mencionados para expressar a ação onipotente de Deus para salvar e livrar o Seu povo (Sl 77.15).  São braços que podem nos fortalecer para que cumpramos as tarefas e missões que recebemos na vida (Sl 89.21).
            Também são ternos e carinhosos. São comparados aos braços de um pastor que ternamente toma os cordeirinhos que não podem caminhar no ritmo do rebanho e os carrega junto do seu coração:
Como pastor, apascentará o seu rebanho; entre os seus braços recolherá os cordeirinhos e os levará no seio (Is 40.11).
Outra comparação é a de um pai que toma o seu filhinho ainda pequeno nos braços e o ensina a andar
eu ensinei a andar a Efraim; tomei-os nos meus braços (Os 11.3).
            Mas há uma diferença gritante entre os braços de Deus e o dos homens, os braços de Deus são eternos, podem nos carregar para sempre.
O Deus eterno é a tua habitação e, por baixo de ti, estende os braços eternos (Dt 33.27).
O texto acima afirma que os braços de Deus se colocam por baixo de nós, para nos carregar, dar o suporte e apoio que precisamos nessa vida. Estes braços podem se tornar nossa morada eterna, em outras palavras, podemos ficar por toda vida nos braços d’Ele.  O termo traduzido como “habitação” indica um lugar seguro para estar. No Salmo 90.1 foi traduzido como “refúgio” sendo aplicado a Deus, testemunhando que n’Ele temos um lugar de eterna segurança.
Podemos clamar com confiança:
SENHOR, tem misericórdia de nós; em ti temos esperado; sê tu o nosso braço manhã após manhã e a nossa salvação no tempo da angústia. (Is 33.2)
            O consolo e conforto humano podem nos faltar. Nem sempre seremos socorridos e compreendidos pelos homens. O abraço e apoio humanos podem não aparecer nos momentos que precisamos, mas nos braços de Deus estaremos eternamente socorridos e amados. 







quinta-feira, 31 de março de 2016

LEMBRETE SEMPRE NECESSÁRIO - Soneto

Lembrete sempre necessário
Almir Marcolino Tavares
28/03/2016
(Soneto baseado no salmo 49)

Para plebeus e nobres,
também ricos e pobres,
o final é sempre a morte.
Ninguém tem outra sorte.

Entender o sentido,
fugir do destino,
decifrar o enigma,
eternizar a vida?

Nomear cidades,
erguer monumento?
Solução provisória!

Obter imortalidade?
Ilusão de momento!
Sem Deus? Só na memória. 


quinta-feira, 24 de março de 2016

GRATIDÃO PELA GRAÇA MANIFESTADA ATRAVÉS DA VIDA DO PASTOR TOMÉ WILLSON

A graça de Deus chega a nós de várias maneiras. Uma das mais comuns é através de outras pessoas. Deus usa homens e mulheres como canais para fazer as águas de Sua graça abençoarem outras vidas.
Esta graça chegou a alguns de nós através da vida do Pastor Thomas Flenner Willson, mais conhecido como Pr. Tomé ou “seu Tomé”.  Ele foi um dos pioneiros no trabalho evangélico aqui no Cariri cearense.
Além de contribuir para a evangelização, fundação de igrejas, ensino em escolas seculares, inclusive na Universidade, também  foi diretor, deão acadêmico e professor no Seminário Batista do Cariri. Com isso, influenciou várias gerações de obreiros formados naquele seminário. Na região do Cariri, o Pr Tomé serviu a Deus em várias igrejas. Na Igreja Batista Regular do Novo Juazeiro, serviu por dez anos (1979-1988). Os mais antigos na igreja podem lembrar de suas pregações, aulas na Escola Dominical, e de como se apresentava como voluntario para discipular os novos convertidos.
            No dia 23 de março, aos 92 anos, o pastor Tomé deixou esta vida. Na linguagem do apóstolo Paulo, ele partiu para estar com Cristo. A âncora que o prendia neste mundo foi solta, e ele empreendeu a viagem para a situação que é incomparavelmente melhor (Filipenses 1.23).  Nas palavras de Jesus, ele foi levado pelos anjos para a presença de Deus (Lucas 16.22)
            Quero aproveitar para repetir a homenagem que fiz ao Pastor Tomé por ocasião de seu aniversário de 87 anos. 
             Pessoalmente sou muito devedor ao Sr. Tomé. Sem dúvida ele foi uma das pessoas que mais marcou a minha vida.  Quero alistar alguns fatos.
            Quando tomei a decisão de estudar em um seminário, escrevi para várias escolas no Brasil, pois não sabia onde deveria estudar. Foi o senhor Tomé quem mais rapidamente respondeu e se prontificou a me ajudar a chegar aqui, minorando algumas dificuldades que eu enfrentava então. Sua carta teve um papel determinante em minha decisão de estudar no SBC. Posso até dizer que, escolhi estudar no SBC por causa daquela carta incentivadora que ele me enviou.
            No Seminário, foi professor exigente e dedicado, buscando que eu desse o meu melhor nos estudos e no trabalho. Esforçou-se sobremaneira para que eu pudesse continuar nos estudos em níveis além da graduação. Inclusive custeando várias mensalidades e viagens que eu tinha de fazer.
Se voltei para o Cariri, depois de formado, para ensinar no SBC, muito se deve ao Pr Tomé. Tanto incentivou os membros do conselho a me convidarem como me incentivou a aceitar. O mesmo se deu quanto ao pastorado da Igreja de Novo Juazeiro, que pastoreio há 27 anos. Tenho certeza que sua palavra teve muito peso para que os irmãos daquela época me convidassem. Além disso, fortemente me aconselhou a aceitar este convite.
            Se hoje sou convidado a pregar em vários lugares deste país, o seu Tomé também foi instrumento nisso, indicando meu nome para as igrejas, e muitas vezes, ele deixava de ir quando convidado, e pedia para que eu fosse em seu lugar. 
            Sempre tratou minha família com muito carinho. Quando chegamos ao Cariri, ainda sem casa para morar, ele nos acolheu em sua casa.
            A graça de Deus usou o Pr Tomé para que chegasse onde estou hoje. Ele me serve de exemplo, fazendo-me ver que sou canal através do qual a graça de Deus deve fluir para abençoar outros.
            OBRIGADO SENHOR, PELA VIDA DO PR. TOMÉ, Ajuda-me a ser para outros um pouco do que ele foi para mim.