quinta-feira, 4 de julho de 2013

UMA PRESENÇA NECESSÁRIA PARA VENCER OS DESAFIOS

O grupo de meninos avançava conversando animadamente. Cada um buscando sua vez de falar sobre seus feitos e se esforçando em ser ouvido sobre as expectativas de mergulhar e atravessar o rio. Aquela aventura era um verdadeiro desafio. No meio deles, um menino sem o mesmo entusiasmo. Nunca tinha conseguido a coragem para pular e atravessar o rio! 
Quando chegaram ao local, ele se assentou à margem, abraçando os joelhos junto ao queixo, contemplou os outros que gritando, saltavam e nadavam até a outra margem. Notava-se em seus olhos o desejo, mas em seu coração habitava o medo. Seria aquele um desafio invencível para ele? 
Um colega, um pouco mais velho, assentou-se ao seu lado e perguntou se ele não gostaria de pular. A cabeça balançou dizendo que sim. O colega então disse: se você pular eu pulo com você e fico do seu lado até você chegar ao outro lado. Um momento para pensar e vencer a dúvida. Animado pelo apoio do amigo, o menino se levanta e avança para enfrentar seu desafio. Pula, começa a nadar, o colega o acompanhou, nadando no mesmo ritmo do menino, de vez em quando dizia: coragem, eu estou aqui. Ao chegar do outro lado, havia uma dupla alegria, a do menino que vencera seu desafio, e a do colega que o ajudara. Mas o maior ganho fora o aprendizado que acompanharia aquele menino por toda a vida: é mais fácil enfrentar desafios, quando temos alguém que se coloca ao nosso lado e nos encoraja.
Desafios são as situações de dificuldades ou grandes problemas que enfrentamos e precisam ser vencidos ou superados.  Eles podem se apresentar como missões ou tarefas para as quais não nos sentimos capazes. Nestas ocasiões Deus garante a Sua presença e nos encoraja.
Foi isso que aconteceu com Moisés. Quando Deus o comissionou a enfrentar o Faraó e tirar o povo de Israel do Egito, ele simplesmente respondeu: Quem sou eu? Demonstrando que se sentia incapaz para enfrentar tal situação. Afinal, ele era apenas alguém já com oitenta anos, sendo que os últimos quarenta foram gastos pastoreando as ovelhas e bodes de seu sogro no meio do deserto! Além do mais, ele já havia fugido do Egito, e era procurado como assassino por lá. Inclusive, o próprio povo de Israel já o ignorara uma vez. 
Mas Deus o animou incentivou a aceitar o desafio. Só que o incentivo de Deus não veio de uma maneira que evidenciasse as capacidades, recursos ou talentos de Moisés. Deus não respondeu de modo que a estima própria de Moisés fosse elevada. Mas com uma simples palavra que garantia uma grande promessa: Eu serei contigo. (Êxodo 3.10-12). Foi como se Deus dissesse: Eu sei que você não é capaz, mas Eu estarei com você.  
E quando Moisés alegou que não era a pessoa adequada para se dirigir ao povo e a Faraó, pois não era eloquente, Deus lhe responde: Eu serei com a tua boca. (Êxodo 4.10-12). A presença de Deus era tudo que Moisés precisava para enfrentar os desafios da dureza do Faraó, da incredulidade de Israel e de sua própria incapacidade.
Outro caso é o de Gideão. Na primeira vez que o anjo do SENHOR lhe apareceu, ele estava moendo o trigo dentro de um lagar (tanque adequado para pisar as uvas) com medo dos midianitas, que na época dominavam o povo de Israel. Mesmo assim o anjo o chamou de homem valente, que seria equivalente a herói corajoso. Quando observamos as reações iniciais de Gideão não notamos essa coragem e valentia, pelo contrário, encontramos um homem cheio de dúvidas e medo. Mas a coragem e heroísmo vinham de outra fonte: a presença de Deus. A frase completa do anjo foi: O SENHOR é contigo homem valente (Juízes 6.12).
A comissão de Deus para ele soa até irônica: Vai nessa tua força e livra Israel das mãos dos midianitas. A força de Gideão era quase nenhuma, ou mesmo nenhuma que pudesse livrar Israel. Ele mesmo confessa que sua família era a mais fraca da tribo, e ele o mais insignificante da família. Deus concorda, e dá a real razão para a vitória: Porque Eu estou contigo, ferirás os midianitas como se fossem um só homem.(Juízes 6.14-16). Esta seria a força que Gideão precisava para enfrentar aquele desafio. Os acontecimentos subsequentes provaram que o sucesso não foi por causa da força de Gideão, mas por causa da presença de Deus.
                Ainda podemos citar o exemplo de Jeremias. Quando Deus o comissionou para ser um profeta às nações, ele respondeu dizendo que era apenas um menino e que não sabia falar. Mas Deus garantiu que Jeremias cumpriria completamente sua função e que ele não precisava ter medo: Porque Eu sou contigo. Deus disse que ele enfrentaria grande oposição, ficaria sozinho contra todos. Mas não seria derrotado: porque Eu sou contigo. Mesmo sendo apenas um menino, e estando sozinho, Jeremias seria como um muro de bronze para enfrentar os desafios, e a razão era a mesma: porque Eu sou contigo (Jeremias 1.8,19; 15.20). O sucesso de Jeremias foi devido à presença de Deus.
                A presença de Deus garantiu a vitória de Moisés contra Faraó, a de Gideão contra os midianitas e o sucesso de Jeremias profetizando contra as nações. A mesma presença está conosco para enfrentarmos os desafios da nossa vida. Não são os nossos recursos, nem a nossa capacidade, nem nossa inteligência, nem nossos talentos que nos darão a vitória, mas a presença de Deus conosco.
                Encorajados pela presença de Deus ao nosso lado, avancemos para os desafios que se apresentam a nossa frente.