terça-feira, 30 de setembro de 2008

O Poder da palavra !

Será que palavras, simples ar articulado, podem mudar situações? Esta pergunta vem à mente em vários momentos, e, algumas vezes, fico desanimado com a tarefa de pregar. Acho-a pequena, inútil, e até ineficaz. Será que ela pode produzir resultados permanentes? Será que ela pode construir um mundo, tal qual um engenheiro pode construir um prédio? Ou ainda ela pode salvar vidas, tal qual um médico faz? Pode ela cooperar para alimentar pessoas, como um agricultor coopera? Não seriam as pregações apenas canções de ninar que embalam adultos que escolhem os bancos da igreja para tirar um cochilo? Ou uma boa diversão para aqueles que escolhem o raciocínio como um passatempo? Pode a Palavra mudar visões e situações?
O mundo da comunicação tem respondido com um grande “sim” a esta pergunta. Ele de fato acredita que as palavras têm poder para mudar situações. As palavras vendem, criam desejos, fazem as pessoas sonhar, ganham campanhas políticas, etc. É por isto que a mídia investe tanto em palavras.
Satanás também responde com um “sim” a esta pergunta. Ele sabe o poder que as palavras têm para mudar a vida dos homens. Afinal, sua única arma contra Eva foram palavras. Ele usou uma argumentação cheia de falhas, mas eram palavras. Estas palavras mudaram a visão de Eva, mudaram suas convicções, criaram desejos, e por final mudaram a situação dela. Não foi nada mágico, o homem livremente escolheu acolher aquelas palavras.
Deus também usa palavras. Esta tem sido sua maior arma no decorrer dos séculos. Ele tem falado muitas vezes e de muitas maneiras (Hebreus 1.1,2). Mesmo quando operou milagres Ele os fez acompanhar de palavras explicativas. A ordem de Jesus foi para usarmos palavras (pregações) para proclamar a Sua verdade. E quando os homens acolhem esta palavra ela também muda a sua situação, só que para melhor.
A Igreja do Senhor Jesus Cristo tem a palavra como arma. Tanto a palavra pregada aos homens, como a palavra “orada” a Deus. Ambas mudam situações. Pedro usou a palavra para mudar o conceito que as pessoas no Pentecostes estavam tendo da descida do Espírito Santo ( Atos 2). Novamente ele usa a palavra para explicar o milagre da cura do coxo ( Atos 3 ). A palavra foi usada tanto para levar pessoas a crerem, como a fortalecer e confortar pessoas na crença ( Atos 14.22; 15.32). É a palavra que gera a fé ( Romanos 10.17). A palavra é a semente que Deus usa para fazer a nova vida nascer numa pessoa ( Lucas 8.11; 1 Pedro 1.23).
Todos nós usamos a palavra a serviço da mentira ou da verdade. Todos nós estamos mudando, visões, convicções, e situações com palavras. Nossas palavras podem confortar, ou enfraquecer, esclarecer ou confundir, ajudar ou atrapalhar.
Temos um grande chamado: mudar o destino eterno de pessoas com palavras. Ajudar a povoar os novos céus e a nova terra com pessoas novas, nascidas pelo poder da palavra. Fazemos parte de um grande plano, um projeto maior. Um novo mundo onde habita a justiça. É uma das formas como contribuímos para este plano é com palavras.
Como temos usados nossas palavras? Elas de fato têm transmitido vida? Têm transformado situações para melhor? Têm cooperado para a edificação do Reino de Deus?

sexta-feira, 19 de setembro de 2008

FOCADO

Assistindo algumas competições das últimas olimpíadas minha atenção foi despertada para uma palavra que estava sendo muito usada: “focado”. Um locutor disse que o nadador Michel Phelps estava muito focado, e esta era uma das razões de suas vitórias; foi dito ainda que a equipe de voleibol feminino do Brasil estava muito focada. E assim por diante. Procurei seu significado. Nos dicionários disponíveis não encontrei o adjetivo “focado”, apenas os verbos “focar” e “focalizar”, e o substantivo “foco”.
Pela associação com os verbos e o substantivo, e pelo contexto nos quais o termo foi usado, cheguei à conclusão que focado é alguém que concentrou toda sua atenção em um único ponto, fez de um único alvo todo motivo de seu esforço. Uma pessoa focada é aquela que coloca todo seu pensamento, todas as suas afeições e todas as suas ações no que quer alcançar. É alguém que chegou a conclusão do que é mais importante para ele naquele momento, e por isto dará tudo de si para conseguir.
Gostei da palavra. Ela carrega certa força em sua pronúncia, e nos transmite a idéia de uma pessoa determinada a impedir que qualquer coisa lhe desvie do seu propósito. Já li sobre um atleta que estava pronto para conquistar o primeiro lugar na corrida dos cem metros. Mas na hora da largada lembrou-se de seu pai, e das críticas que este lhe havia feito. Não largou bem, perdeu a corrida. Ele não estava focado. Um vencedor tem que estar focado!
Aqueles que estão na carreira e luta cristã também têm que estar focados. A Bíblia nos diz isto em vários textos, incluindo Hb 12.1 e 2.
Portanto, também nós, visto que temos a rodear-nos tão grande nuvem de testemunhas, desembaraçando-nos de todo peso e do pecado que tenazmente nos assedia, corramos, com perseverança, a carreira que nos está proposta, olhando firmemente para o Autor e Consumador da fé, Jesus, o qual, em troca da alegria que lhe estava proposta, suportou a cruz, não fazendo caso da ignomínia, e está assentado à destra do trono de Deus.
O autor está escrevendo para uma igreja onde os crentes, por causa das muitas perseguições, estão considerando a idéia de se afastar da fé, alguns até já havia deixado de se congregar (Hb 10.25). Ele mostra que a fé verdadeira é aquela que persiste e não desiste (Hb 10.38,39), apresenta grandes exemplos de pessoas focadas nas promessas de Deus, e mesmo enfrentando dificuldades não desistiram (Hb 11.13-16, 26,27). Depois exorta seus leitores para que fiquem focados em Cristo.
O cristão está numa competição, ele tem uma corrida de longa distância para correr. Há uma multidão que participou da mesma corrida, e chegou. Como numa corrida de revezamento, os que correram antes de nós fizeram sua parte e nos passaram o bastão. Agora dão testemunho da verdade de que vale a pena prosseguir, sendo exemplos inspiradores de perseverança. Mas também são expectadores, aguardando que cumpramos nossa parte, e assim nos juntemos a eles completando o círculo dos vencedores (Hb 11.39,40).
Um cristão focado deixa de lado qualquer coisa que possa atrapalhar sua vida cristã. Dois tipos de obstáculos são mencionados: peso e pecado. Peso se refere a qualquer coisa que não é pecado, mas que mesmo assim atrapalha. Deixa a vida mais pesada para prosseguirmos. Há certas atividades na vida, diversões, passatempos, etc. que não são pecaminosas, mas que nos impedem de ir mais rápido na vida cristã. Além disto, faz com que nossa vida se torne mais cansada. Pecado é tudo aquilo que contraria a vontade de Deus. O pecado facilmente pode nos envolver. É como alguém tentar correr com um vestido comprido, facilmente suas pernas podem ser envolvidas, e ele cair na corrida.
Um cristão focado não desiste nunca, seja brasileiro ou não! Ele resiste a tudo e a todos que queiram fazê-lo parar. Ele persiste em correr, apesar dos problemas que enfrenta. Ele não desanima nem se desespera. Com determinação e disciplina, ele aceita a luta que Deus está lhe apresentando, e com confiança a enfrenta.
Um cristão focado não tem olhos para mais nada a não ser para Jesus. Ele fixa seus olhos em Cristo. Jesus é o seu foco. Toda sua atenção está concentrada em Cristo. Não permite que nada desvie seus olhar, nem que seu coração fique divido, entre o céu e as coisas do mundo. Nenhuma diversão ou distração irá levá-lo a tirar seu olhar de Cristo.
Um cristão focado valoriza mais a alegria de receber o prêmio no futuro, do que o sofrimento do momento. Ele reconhece que a vergonha e o sofrimento do presente não se comparam a alegria e o galardão que irá receber. Foi este o exemplo de Jesus. Ele viu além da cruz, que depois da vergonha e dor que iria passar, haveria a alegria de sentar ao lado do Pai, como Rei vitorioso.
Estamos numa corrida para a eternidade. Uns já desistiram, perderam o foco, olharam para outras coisas, encantaram-se com o mundo, e desistiram. Outros ficaram cansados com as dificuldades e pararam para descansar. Alguns acumularam tanto peso com as coisas da vida, que agora não conseguem avançar. Ainda outros, ao invés de se despojarem do pecado, se envolveram com ele e caíram. Mas, há outros que estão focados em Cristo, e continuam a carreira da fé. Em qual grupo você está?

quinta-feira, 11 de setembro de 2008

O que Cesar Cielo tem em comum com o apóstolo Paulo?

O nadador Cesar Cielo entrou para a história do esporte brasileiro com a emocionante conquista da primeira medalha de ouro da natação do Brasil. Para chegar a este feito ele precisou de grande dedicação. Devoção aos treinamentos e renúncia a muita coisa que outros jovens desfrutariam. Ficou longe da família, não podia sair para diversões e namoro, teve que cuidar da alimentação, do sono, etc. Foi o preço da medalha.

Isto me fez lembrar 1 Co 9.24-27.

Não sabeis vós que os que correm no estádio, todos, na verdade, correm, mas um só leva o prêmio? Correi de tal maneira que o alcanceis. Todo atleta em tudo se domina; aqueles, para alcançar uma coroa corruptível; nós, porém, a incorruptível.

Assim corro também eu, não sem meta; assim luto, não como desferindo golpes no ar. Mas esmurro o meu corpo e o reduzo à escravidão, para que, tendo pregado a outros, não venha eu mesmo a ser desqualificado.

Aqui Paulo usa o exemplo dos atletas que corriam e lutavam nos Jogos Ístmicos, que eram realizados de dois em dois anos na cidade de Corinto, para ilustrar a atitude dos cristãos na sua corrida e luta na vida cristã.

O cristão deve correr a carreira cristã com a determinação de vencedor. Dos vários atletas que corriam no estádio, apenas um levava o prêmio. Paulo exorta seus leitores: Vivam a vida cristã com a determinação de serem vencedores. Sejam determinados para vencer e não apenas competir. Para ser um vencedor um atleta emprega, de modo consciente, os poderes, recursos e talentos que tem para atingir o alvo. Assim deve ser o cristão. Empregar todos os recursos que Deus lhe deu para prosseguir vitorioso no cristianismo (2 Ped 1.3,4).

Um atleta vencedor tem domínio próprio para treinar com grande dedicação e fazer sacrifícios. Enfrenta tentações para fazer outras coisas mais fáceis no lugar de treinar. Seu corpo muitas vezes está doendo, sem vontade de fazer aquele esforço. Mas a falta de domínio sobre o corpo não traz medalhas. Naquela época o atleta se preparava treinado durante dez meses antes dos jogos sob a supervisão de juízes. Além do treinamento rigoroso se abstinha da comida prejudicial, vinho e atividade sexual. Tudo que poderia prejudicar sua condição física era deixado de lado. Para completar a carreira cristã é preciso ter domínio próprio. Que é fruto do Espírito Santo em nossas vidas (Gal 5.23) e também uma qualificação necessária para não ser infrutífero e improdutivo no Reino de Deus (2 Ped 1.5-8)

A vitória só vem quando há um objetivo certo e determinado. Estar com a mente voltada para a medalha. Paulo diz que não corria por correr, mas corria para ganhar. Ele não dava socos no ar, mas quando desferia seus golpes tinha o alvo derrubar o oponente. Não podia desperdiçar esforços e tempo. Na vida cristã é preciso ter em mente que nosso alvo é agradar a Deus, ser aprovado por Cristo, que nos chama para os céus. (Filip 3.14). Para isto é preciso abrir mão até de coisas que em si não são erradas, podem ser até boas, mas que não irão contribuir para a conquista do prêmio.

O atleta Cesar Cielo disse em um programa esportivo que esmurrava seu corpo antes de entrar na piscina, preparando-o para a dura competição que teria a seguir. Paulo também disse que esmurrava seu corpo. Ele está usando linguagem figurada para expressar que tratava duramente seu corpo, mantinha-o em disciplina. Seu corpo não era seu senhor, mas ele era o senhor de seu corpo. Ele fazia isto para que depois de pregar a outros ele mesmo não fosse desqualificado. O arauto (pregador) anunciava os atletas que estavam qualificados para os jogos naquela época, e também proclamava os que estavam desqualificados. Os atletas tinham que cumprir determinadas regras para se qualificarem para as competições. Paulo via a si mesmo tanto como o arauto que convidava as pessoas para a competição cristã, como um atleta que estava para ser examinado e entrar nos jogos. Por isso ele se dominava, porque não queria ser desqualificado depois de ter anunciado a outros.

Apesar destas várias semelhanças, há uma forte diferença entre os atletas e Paulo, e conseqüentemente entre os atletas e os cristãos. Enquanto eles buscam um prêmio que não é eterno, nós teremos um prêmio que permanecerá para sempre. Nunca será perdido, esquecido, nem desgastado. Se atletas que buscam uma medalha que um dia não existirá mais (pois tudo neste mundo será consumido pelo fogo) mantém uma disciplina dura e determinada, quanto mais nós.

O problema é que muitos cristãos querem a vitória, mas não estão dispostos a pagar o preço. Querem o prêmio, mas não querem fazer os sacrifícios necessários. Querem um caminho confortável e fácil. Ficam tristes porque não estão avançando na vida cristã, porque não conseguem progredir. Mas também não estão dispostos a deixar o tempo da diversão para se dedicarem a oração, estudo da Bíblia, freqüência à igrejas, e trabalho no Reino de Deus. Sem dedicação não haverá galardão.

terça-feira, 2 de setembro de 2008

Que medalha você vai ganhar?


Durante as olimpíadas vários atletas foram premiados com medalhas que simbolizavam a vitória depois de uma luta, dedicando tempo, esforço físico, disciplina, recursos, etc. Nos tempos do Novo Testamento também havia jogos esportivos, e os vencedores eram premiados não com medalhas, mas com coroas, que eram grinaldas ou guirlandas feitas de ramos de oliveira. Receber uma destas coroas era a principal honraria que um grego aspirava. A medalha de ouro de hoje era a coroa de antigamente. O objeto mudou, mas o significado é o mesmo. A medalha de hoje coroa a vitória do atleta, da mesma forma que a coroa de louros da antiguidade apontava e honrava o vencedor.

O Novo Testamento usa a palavra “coroa” como metáfora para o prêmio que os filhos de Deus receberão. A vida cristã é considerada uma carreira, uma competição, que é colocada diante de nós (Hb 12.1). A vida de obediência a Deus é comparada ao exercício físico, sendo que este tem proveito apenas para esta vida, e a piedade para esta e para a vida eterna (1 Tm 4.8). Da mesma forma que havia premiação para os vencedores dos jogos, também haverá para os fiéis a Deus. Como será esta coroa concedida aos vitoriosos na corrida cristã? Que medalhas irão ganhar?

Será uma coroa de justiça. Em 2 Tm 4.7,8 Paulo diz: Combati o bom combate, completei a carreira, guardei a fé.Já agora a coroa da justiça me está guardada, a qual o Senhor, reto juiz, me dará naquele Dia; e não somente a mim, mas também a todos quantos amam a sua vinda. Ele tem competido bem no jogo da vida cristã, e que chegou ao fim da corrida, guardando as regras da competição. Por isto ele espera receber a coroa da justiça. A coroa de justiça é a declaração da parte de Jesus, o Justo Juiz, de que seus seguidores não devem ser condenados, mas justificados, perdoados, por que Ele já pagou a penalidade de seus pecados na cruz (Rm 1.17; 45). No final de uma vida na qual sofreu várias injustiças, Paulo seria declarado justificado. Ele diz que esta coroa será dada não apenas a ele, mas a todos quantos amam o aparecimento de Jesus, aqueles que devotam suas vidas em competir pela Pessoa e obra de Jesus.

Será uma coroa de vida. Tiago 1.12 Bem-aventurado o homem que suporta, com perseverança, a provação; porque, depois de ter sido aprovado, receberá a coroa da vida, a qual o Senhor prometeu aos que o amam. Aqui temos a bênção de perseverar durante a prova, porque depois de passar no teste, ser aprovado, a pessoa irá receber a coroa da vida. Ficar firme durante as provações e tentações da vida é uma demonstração de amor para com Deus. Como o homem recusa a sedução de outra mulher porque ama a sua esposa. Resistir à tentação é mostrar que nosso amor por Deus é autêntico e genuíno. Deus tem anunciado que todos os que O amam receberão a vida eterna como prêmio. Esta é a coroa da vida.

Em Apocalipse 2.10 é dito a Igreja de Esmirna: Não temas as coisas que tens de sofrer. Eis que o diabo está para lançar em prisão alguns dentre vós, para serdes postos à prova, e tereis tribulação de dez dias. Sê fiel até à morte, e dar-te-ei a coroa da vida. Esta igreja deveria ficar firme durante as provações e tribulações que viriam, pois aquele que fica fiel até a morte recebe a coroa da vida. Quem permanece fiel a Cristo, mesmo morrendo, recebe a vida eterna como premio (Mt 10.39).

Será uma coroa de glória. Ora, logo que o Supremo Pastor se manifestar, recebereis a imarcescível coroa da glória. 1 Pd 5.3, falando a pastores que enfrentavam sofrimentos junto com outros crentes, Pedro os exorta a cuidarem do rebanho de Deus da forma correta, e eles receberiam do Supremo Pastor a coroa de glória. Esta seria uma coroa imarcescível, feita de folhas que não murcham. Seria o reconhecimento eterno de Deus pelo trabalho realizado. A glória é o ouvir de Deus “muito bem servo bom e fiel” (Mt 25.23). Nenhum pódio do mundo pode dar uma glória que pelo menos chegue aos pés desta.

Será uma coroa incorruptível. Não sabeis vós que os que correm no estádio, todos, na verdade, correm, mas um só leva o prêmio? Correi de tal maneira que o alcanceis.Todo atleta em tudo se domina; aqueles, para alcançar uma coroa corruptível; nós, porém, a incorruptível. Em 1 Co 9.24,25 Paulo compara novamente a vida cristã a uma competição atlética. Um atleta dos jogos ganhava o prêmio, que era uma coroa corruptível, feita de folhas que iriam murchar e ser jogada fora. Mas aquele que está firme na corrida cristã vai receber uma coroa que nunca vai murchar, nunca vai se acabar.

Será uma coroa em forma de pessoas. Portanto, meus irmãos, amados e mui saudosos, minha alegria e coroa, sim, amados, permanecei, deste modo, firmes no Senhor. Em Filipenses 4.1, Paulo se dirige aos irmãos da Igreja em Filipos e os chama de sua alegria e coroa. A mesma idéia é dita aos crentes de Tessalônica (1 Ts 2.19 - Pois quem é a nossa esperança, ou alegria, ou coroa em que exultamos, na presença de nosso Senhor Jesus em sua vinda? Não sois vós?), eles eram sua coroa, seu motivo de orgulho diante de Jesus. Para Paulo, as medalhas que levaria desta vida eram as pessoas salvas e edificadas através de seu trabalho para Deus. Paulo apresentaria estas pessoas a Deus, da mesma forma que os vinte e quatro anciãos que adoram a Deus diante do trono lançam suas coroas aos pés do trono (Apocalipse 4.10), reconhecendo que todo mérito é de Deus.

Estamos numa olimpíada de vida ou morte. Competindo por medalhas eternas. Perseverando em seguir a Jesus Jesus receberemos as medalhas da justiça e da vida. Trabalhando para que outras pessoas sejam edificadas na fé receberemos a medalha da glória. Conduzir pessoas a Cristo, trabalhar para que elas fiquem firmes na fé, é concorrer a medalhas eternas, que serão apresentadas diante do trono de Deus.

Quais medalhas nós iremos ganhar?