quinta-feira, 25 de dezembro de 2008

NATAL , PRESENTE DE AMOR


O que comemoramos no Natal? A resposta é óbvia: o nascimento de Jesus Cristo. Mas, por que comemoramos o nascimento de Jesus Cristo? O seu nascimento está distante de nós tanto no tempo como no espaço. Ocorreu há mais de dois mil anos, e na distante Palestina, milhares de quilômetros distantes daqui.
Outras pessoas famosas já passaram por este mundo. Fizeram revoluções, venceram guerras, lideraram exércitos. Foram reis, presidentes, escritores, cientistas, religiosos, caridosos, etc. Mas nenhum deles tem a data de seu aniversário comemorada de forma quase mundial. Por que só o nascimento de Jesus é comemorado assim?
Jesus nasceu numa das menores vilas de Seu país. Nunca escreveu um livro, nunca liderou um exército, nunca empunhou uma arma. Na maior parte de sua vida nunca saiu de seu pequeno país (menor que o nosso estado de Sergipe). No entanto, Ele é conhecido em todo o mundo. Seus ensinos modificaram toda cultura ocidental. Sua influência é vista até na forma como marcamos o tempo: antes e depois de Cristo.
Não temos certeza da data de Seu nascimento. Mesmo assim, os dois maiores feriados do mundo relembram seu nascimento. Por quê?
Há várias razões, mas creio que a maior é que Sua visita a este mundo foi um ato de amor.
Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu seu Filho Unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna.” (João 3.16). Este versículo está inserido no relato da conversa que Jesus manteve com Nicodemos, que era um mestre religioso em sua época.
Após avisar que era preciso uma nova vida para entrar no Reino de Deus, e explicar como era essa nova vida, Jesus diz que Ele é o único que veio do céu para revelar o Pai e morrer (ser levantado) salvando os homens. O verso 16 é um resumo que explica a razão e o propósito de Deus enviar Jesus ao mundo. Neste pequeno verso temos um grande relato do amor de Deus.
forma como Deus demonstrou Seu amor: deu Seu Filho Unigênito. Amar envolve sentimento e intenção, mas inclui também uma ação. Li um fórmula interessante: intenções -ações = nada. Isso significa que intenção sem nenhuma ação não produz nada. Deus teve intenção e ação. E Sua ação foi uma doação. 
intensidade do amor de Deus: de tal maneira que deu Seu Filho Unigênito. Não foi um amor pequeno, mas um amor que deu o bem mais precioso que tinha. Ele não poupou Seu Próprio Filho. Aquele que não poupou o seu próprio Filho, antes, por todos nós o entregou, porventura, não nos dará graciosamente com ele todas as coisas? (Romanos 8.32). A doação foi uma dor em ação. Foi uma doação que possibilitou a doação de todas as outras coisas que precisamos.
presente do amor: o Seu Filho Unigênito. O único Filho da mesma natureza do Pai. Os homens são filhos de Deus por adoção, Jesus é o único filho que compartilha a mesma essência.O próprio Deus se deu na Pessoa de Cristo, pois Jesus é da mesma natureza de Deus, Ele também é Deus. Como Ele afirmou: Eu e o Pai somos Um. (João 10.30). Foi o maior presente que Deus poderia doar, e o maior que o mundo poderia receber. 
objeto do amor: o mundo. As pessoas que habitam neste mundo, e que não amavam a Deus. Nisto consiste o amor: não em que nós tenhamos amado a Deus, mas em que Ele nos amou e enviou Seu Filho como propiciação pelos nossos pecados.  (1 João 4.10). “Nós amamos porque Ele nos amou primeiro” (1 Jo 4.19). Ele amou pecadores: “Mas Deus prova o Seu próprio amor para conosco pelo fato de ter Cristo morrido por nós, sendo nós ainda pecadores”. (Romanos 5.8)
propósito do amor: para que todo aquele que Nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna. O propósito de Deus em nos amar e enviar Jesus foi nos dar a salvação. “Nisto se manifestou o amor de Deus em nós: em haver Deus enviado o Seu Filho unigênito ao mundo, para vivermos por meio Dele”. (1 João 4.9)
eficácia do amor: quem nele crê tem a vida eterna. Qualquer amor para ser desfrutado tem que ser acreditado. Só se desfruta um amor quando se confia e se aceita este amor. Deus amou o mundo, mas apenas os que confiarem em Seu amor, e aceitarem o presente que Ele deu é que serão salvos.
resultado do amor para quem rejeita: pereça.  A rejeição do amor de Deus manifestado em Cristo acarretará a condenação, a perdição eterna. “Quem não crê já está condenado: porquanto não crê no nome do Unigênito Filho de Deus”. (João 3.18). “Mas aquele que não crê no Filho não verá a vida; mas a ira de Deus sobre ele permanece.” (João 3.36)
Rejeitar o presente do amor de Deus é ficar debaixo da Sua ira. O Natal só será feliz se aceitarmos o amor de Deus em Seu Filho, Jesus Cristo.



5 comentários:

Marcos Aurélio disse...

Pastor Almir,
que bela abordagem de um dos versículos mais conhecidos da Bíbia (João 3:16)!!!

Cristo Jesus deveria ser o centro das atenções não apenas nesta época do ano. Infelizmente, nem na época em que se comemora o seu nascimento, o homem pecador enxerga a real necessidade de aceitar o maior presente de Deus.
Somente pela graça, através da fé, o homem enxergará tão sublime amor demonstrado por Deus ao enviar o Seu Filho Unigênito a este mundo.

Que Deus continue o abençoando no novo ano que logo chegará.
Um abraço.

Fernanda Morais disse...

Muito boom!

Que o Senhor continue te usando para transmitir a palavra dEle!
:)

Elma Sales Morais disse...

Muito oportuna a reflexão. Vivamos no Amor de Cristo Jesus.

Anônimo disse...

Cada vez que leio, ou ouça algo relacionado ao amor que Deus nos tem dado por meio de Cristo, fico maravilhada com a grandeza desse amor. Hoje acordei e meditei em Romanos 8, agradeci a Deus pelo presente dos presentes, que é Jesus. Ao abrir o email encontrei essa meditação tão especial, pois nos leva a pensar quão valioso presente Deus nos deu. Obrigada pastor por abençoar as nossas vidas com essa reflexão! Que Deus abençoe o sr. e sua família!

RENATO SANTOS disse...

Amém e amém.