sábado, 9 de janeiro de 2010

ANO NOVO, VIDA NOVA! SERÁ MESMO?


O bordão “ano novo, vida nova” pode transmitir a idéia de que a mudança do ano produz automaticamente uma nova vida. Isso parece ser uma crença comum. Algumas pessoas chegam a dizer que não vêem a hora do ano acabar para que as coisas passem a melhorar. Têm a esperança de que o ano que se inicia, por ser novo, será diferente e melhor. Será isto verdade? Ou é mera superstição?
Um versículo bíblico nos indica que o tempo não faz as coisas melhorarem de forma mágica, ele está em Jeremias 8.20.
O profeta Jeremias foi chamado para proclamar a Palavra de Deus para um povo religioso, mas desobediente. Que usava a religião como um amuleto para se proteger das situações difíceis da vida, mas era  teimoso,  recusando o arrependimento. Queria a proteção de Deus para poder continuar na vida de pecado.
O texto citado faz parte das palavras que Jeremias profetizou na porta do templo em Jerusalém, onde a nação ia adorar, oferecendo seus sacrifícios. Só que depois da adoração a vida continuava a mesma, cheia de desobediência a Deus. Diante da ameaça da invasão dos exércitos babilônicos o povo confiava que Jerusalém seria protegida porque nela estava o templo do SENHOR. (Jer 7.1-15). Jeremias avisa que a confiança no templo era sem efeito, se não houvesse arrependimento. Sem mudança de vida chegaria o tempo em que o povo diria as palavras desoladas de quem viu o tempo passar e nada de melhor acontecer. Entraria ano e sairia ano, e a vida continuaria a mesma, sem salvação e sem esperança.
Para que a vida melhore não basta o tempo passar e o ano mudar, é própria  vida que tem que mudar. Uma mudança na vida se faz com arrependimento que abandona o pecado e se volta para obedecer a Deus. Sem arrependimento não há vida nova, mesmo que o ano seja novo. A continuidade no pecado não garante uma nova vida. Isto porque a teimosia em permanecer no erro é antinatural. O normal é alguém se levantar depois da queda. Quando alguém está indo para algum lugar e descobre que errou o caminho, o normal é ela voltar para seguir na direção correta. Mas não era assim que as pessoas de Judá agiam. Persistiam em continuar desobedientes, permaneciam no engano, agarravam-se ao erro. Até as aves migratórias sabem o tempo de voltar. Mas o povo de Deus não sabia o modo natural que Deus lhes ordenou para viver. A lei de Deus deveria ser o modo instintivo de viver. Obediência a Deus deveria ser o normal em nossa vida.
A falta de arrependimento produz uma falsificação da verdade. Aquele povo se orgulhava de ter a Palavra de Deus. Mas como não obedecia, o conhecimento era deturpado. Havia uma manipulação do significado para que o povo não se sentisse perturbado pelo seu pecado, considerando que poderia continuar impune. A desobediência perverte o ensino de Deus. E esta “sabedoria” sem Deus murcha, não livra ninguém diante das situações difíceis, faz a pessoa ficar aprisionada aos problemas, atrapalhada e com medo de  enfrentar a vida. De fato, não é sábio  desprezar os ensinos de Deus.
Deus esperava ouvir confissões de arrependimento, mas só escutava maldade. O que Ele via era um povo correndo para o erro, como um cavalo que corre impetuosamente para a guerra. O pecado era tratado de modo superficial e insuficiente, como se fosse algo simples, uma bagatela que não ofendia a Deus. Não era visto como algo trágico e destruidor. Era como receitar apenas um analgésico para quem tinha um tumor no cérebro. O arrependimento exige que tratemos o nosso pecado com seriedade, como algo que nos levará a morte eterna. Se o pecado for considerado com leviandade, não haverá arrependimento.
A falta de arrependimento, que não sente vergonha pelo pecado cometido, traria uma vergonha ainda maior. Os bens conquistados seriam perdidos. As pessoas não tinham senso de culpa, por causa de seus pecados. Cometiam a maldade como se fosse algo normal. Nem ficavam constrangidos  quando pecavam. Por causa disso, a falta de arrependimento não apenas não tornaria a vida melhor, como faria com que ela piorasse. As esperanças seriam frustradas. Não haveria lugar seguro para escapar. A paz ansiada não seria desfrutada. A aflição é que seria encontrada no lugar da cura buscada. Só haveria lamentação pelas oportunidades perdidas. Tristeza frustrante e sem consolo, ao invés da alegria da presença de Deus. O povo então diria "Passou a sega, findou o verão, e nós não estamos salvos". Sega era o período da colheita, também usado como metáfora para o andamento das estações. Os eventos eram datados a partir de certas colheitas (Gn 30.14; Jz 15.1; 2 Sm 21.9; Rt 1.22).
O tempo pode passar e não produzir as mudanças positivas que esperamos. Talvez as palavras “entra ano e sai ano e não vejo melhora” caibam em sua vida. Uma atitude se faz necessária. É preciso arrependimento, abandono do pecado, volta para Deus, deixar de lado a rebeldia. Sem isso, o tempo vai passar, e nada vai mudar. Sem arrependimento, a única mudança que o tempo produz é para pior. Se não houver uma volta para Deus, o ano de 2012 será frustrante, sem alegria, e trará frutos amargos. Você chegará ao final dizendo “mais um ano se passou, e minha vida só piorou”.

8 comentários:

Marcos Aurélio Melo disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Caetano disse...

Com certeza pastor Almir a mensagem como tantas outras nos faz refletir para que melhoremos ainda mais e façamos uma limpeza em nossos corações. A Palavra é edificante e com certeza muitos irão fazer a faxina e parar de esperar em supertições, como amanhecer o dia primeiro de branco ou jogar flores ao mar para não sei a quem!

Roberia Viana disse...

Concordo plenamente com tudo que disseste, já fiz minha faxina no meu coração e na minha mente, agora o que preciso é preencher totalmente meu coração e mente com a Palavra de Deus, sem reservas para as coisas fúteis. Obrigada por sua dedicação em sempre nos conduzir no caminho certo. Deus o abençoe sempre.

非凡 disse...

I'm appreciate your writing skill.Please keep on working hard.^^

O Samurai de Cristo disse...

Muito bom o assunto, se de fato as pessoas não se voltarem para Deus esse ano,concerteza será mais um ano de fracasso. Gostei, nos veremos em breve. Que o abençoe ricamente.

Alcançados para Alcançar disse...

Ola,
Visite-nos!
http://alcancadosparaalcancar.blogspot.com
Na Paz,

Prega a Palavra disse...

É uma falácia crer que o tempo ou uma virada de ano mude verdadeiramente o coração humano. O entusiasmo e o otimismo humano destituído do verdadeiro arrependimento e do poder da Palavra de Deus mediado pelo Espírito se esfriarão no fim de janeiro...

Reflexões disse...

Verdade Pastor Almir, temos q ter arrependimento, se estamos no caminho do erro do pecado, temos q voltar para o caminho certo, voltar para Deus.Amém por essas palavras sábias e desafiadoras.