quinta-feira, 1 de agosto de 2013

UM PRESENTE SEMPRE PRESENTE E QUE FAZ A DIFERENÇA


Num sítio aqui perto, as pessoas costumam se reunir à tardinha para conversar. Tratam de tudo nestas conversas, desde assuntos mais sérios, até coisas engraçadas. Um dia alguém decidiu fazer a conversa girar em torno da pergunta: o que me dá mais prazer? Um foi dizendo uma coisa, outro foi dizendo outra, até que um encerrou o papo dizendo que o que lhe dava mais prazer era ver uma visita pelas costas.
Se isso for verdade, é apenas em alguns casos, pois há visitas para as quais podemos aplicar a palavra presente em dois dos seus sentidos: (1) alguém que está conosco, e (2) algo que é doado para trazer felicidade a alguém. Há presenças que são presentes, elas fazem a diferença para melhor.
                Após um jogo de futebol, no qual certo jogador foi determinante para seu time vencer a partida, os seus companheiros disseram que, se aquele jogador estivesse presente em todos os jogos, o time teria um aproveitamento de cem por cento. Aquele jogador era um atleta diferenciado, sua presença era um presente para o time, pois ele fazia a diferença.
                Diferenciado tornou-se um termo que expressa um elogio. Quando nos referimos a alguém como diferenciado, estamos afirmando que ele é distinto, isto é, ele se destaca por ser melhor do que os outros naquilo que está sendo comparado.  Alguém que deseja melhorar certa situação diz “quero fazer a diferença”. quando se espera que outra pessoa torne a situação melhor, ouvimos “Ele pode fazer a diferença”.
Algumas pessoas querem que a vida seja diferente, mas não conseguem fazer a diferença. Elas acham que para a vida ser diferente é preciso que as outras pessoas mudem, os lugares sejam outros, os recursos sejam melhores e etc.
Como ter uma vida diferenciada? 
Uma vida diferenciada é resultado de uma Presença que é um Presente. O salmista diz que a presença de Deus é o que faz a diferença entre o medo e a coragem, pois, mesmo no vale da sombra da morte, ele não teme, pois Deus está presente (Salmo 23.4).
Esta verdade também nos foi mostrado por Moisés em Êxodo 33. 15.16. Após o episódio do bezerro de ouro, quando o povo de Israel quebrou a aliança que havia recebido de Deus, foi lhe ordenado que conduzisse o povo à terra prometida. Mas ele disse para Deus: Se a tua presença não vai comigo, não nos faças subir deste lugar. Em outras palavras; Só vou se o SENHOR for, caso contrário, não sairei daqui.
Moisés preferia ficar no deserto com Deus, do que ir para Canaã sem a presença Dele. Para Moisés, a presença de Deus tornava o deserto melhor do que a terra que manava leite e mel. A terra prometida não lhe atraía, se o Deus que a prometera não estivesse nela. Deus era o maior presente, não a terra.
Tanto as situações difíceis do deserto, como a teimosia daquele povo, tornavam-se suportáveis apenas com a presença de Deus. Ele já havia aprendido que o diferencial na vida, não era o lugar, nem as pessoas, mas a presença de Deus.  A qualidade de vida para ele não dependia das condições de lugar, nem de recursos, ou outra coisa qualquer, mas da presença de Deus.   
Ele confirma esta verdade dizendo: “E como se há de saber então, que eu e este povo achamos graça (favor) diante dos teus olhos? Não é por andares conosco, fazendo a mim e a teu povo distintos de todos os povos que estão sobre a face da terra? ”          .
A presença de Deus evidenciava Sua graça. Esta graça se manifesta supremamente não nas coisas que Ele nos dá, mas em Ele dar a Si mesmo para estar conosco. Sem a Sua presença, as Suas dádivas não nos servem. Sem Ele presente, Seus presentes ficam sem graça. A Sua presença é tudo que precisamos. Sua presença é Seu maior presente! Ele presente é o maior presente que devemos ansiar.
Esta mesma verdade foi afirmada para o apóstolo Paulo com outras palavras. Diante de uma situação de maus tratos e ofensas, produzidas por um enviado de Satanás, ele clamou a Deus por livramento. Fez isso três vezes e Deus lhe respondeu: A minha graça te basta (2 Co 12.9). Em outras palavras: Paulo, tudo que você precisa para estar contente é da minha graça. Ela é suficiente para lhe deixar satisfeito.
 O favor de Deus se manifestava em Sua presença no meio do Seu povo, e esta presença era o que tornava aquele povo diferenciado de todos os outros povos. O que era verdade para o povo também era para Moisés. A presença de Deus era o sinal de que Deus estava lhe agraciando, e fazendo-o distinto dos outros homens.
                Depois de uma sublime manifestação de Deus, mostrando o que Ele era, Moisés reitera sua afirmação da necessidade da Sua presença (Ex 34.5-9). Ele diz: Senhor, se, agora, achei graça aos teus olhos, segue em nosso meio conosco; porque este povo é de dura cerviz. Moisés reconhece que só poderia fazer a diferença, no meio daquele povo indiferente para com Deus, se Deus estivesse com ele. A presença de Deus é que faria a diferença.
                Moisés já havia experimentado como esta presença fazia a diferença e trazia graça para o povo.  Deus já mostrara no Egito que tratava o seu povo com distinção, quando o separou para que as pragas não atingissem, e o propósito era mostrar que Ele era o Deus Soberano sobre a terra (Ex 8.22; 9.4; 11.7).  Deus graciosamente levara os egípcios a doarem aos israelitas valores que compensassem o tempo da escravidão (Ex 11.2,3).
                Há outros exemplos de que a presença de Deus faz a diferença. Labão testemunha que havia recebido graça e benção por causa da presença de Deus na vida de Jacó (Gn 30.27). José era outra pessoa diferenciada. Em Gênesis 39 é afirmada por seis vezes a presença de Deus em sua vida, era esta presença que fazia a diferença.
                Também foi a presença de Deus que fez a diferença na vida de Sadraque, Mesaque e Abede-Nego quando foram lançados na fornalha sobremaneira acesa, que matou os que os jogaram lá dentro, mas não fez nada com eles (Dn 3.22-27). Foi a mesma presença que fez a diferença na vida de Daniel, quando passou uma noite com leões famintos, que nada lhe fizeram, mas que devoraram seus inimigos (Dn 6.22-24).
A presença de Deus conosco é um favor que Ele nos concede. Um favor tão precioso que deve ser buscado com insistência, humildade e sinceridade. É esta presença que nos distingue das outras pessoas. A presença de Deus faz a diferença.  

Um comentário:

Darlene Kids disse...

Que meditação preciosa...edificou muito a minha vida. Como Deus é bom dando-nos o privilégio de servi-lO através da escrita e assim consolar outros.Tenha um ótimo dia.