sexta-feira, 7 de agosto de 2009

A ENGENHARIA DA ORAÇÃO


As referências de 2ª Samuel 15.31 e 17.1-14 exemplificam o método que Deus usa, na maioria das vezes, para responder às nossas orações. Por isso estou chamando este artigo de “engenharia da oração”, pois entre outras concepções, o termo engenharia refere-se ao “gerenciamento da inter-relação de vários elementos de um sistema, respeitada as características de cada um, visando converter recursos naturais em formas adequadas para atender às necessidades humanas.” Nestes textos notamos como Deus gerenciou vários elementos, respeitando as características de cada um, fazendo com que os recursos naturais de cada envolvido cooperasse para responder à oração de Davi, e realizar o Seu propósito.

Nestes textos Davi está enfrentando a maior crise do seu reino. As sementes desta aflição foram lançadas muitos anos antes, no adultério de Davi com Bate-Seba e conseqüente assassinato de Urias, marido dela (2 Sm 11). Com estes atos Davi perdeu a autoridade sobre seus filhos. E como Deus havia dito, a violência não se afastou de sua casa (2 Sm 12.10). Seu filho mais velho, Amnon, estuprou sua meia-irmã, Tamar. Davi não tomou nenhuma providência sobre isto. Então, Absalão, irmão de Tamar, vingou-se matando Amnon, e fugiu (2 Sm 13). Quando voltou, Davi demorou recebê-lo no palácio, também não o disciplinou para verificar se havia arrependimento. Absalão então plantou durante quatro anos uma insatisfação entre os súditos do reino contra seu pai (2ª Samuel 15.1-6), e no momento que achou adequado, iniciou uma revolta para tomar o trono (2ª Samuel 15.7-12).

O movimento cresce e se encorpa, e Davi foge de Jerusalém com seus soldados e assessores para poder salvar a vida (15.13-18). Quando se afasta da cidade em direção ao deserto, subindo o monte das Oliveiras, ele e seus acompanhantes choram. E como diz o ditado: desgraça pouca é bobagem, Davi ainda recebe o comunicado de que Aitofel, um dos mais respeitados conselheiros do reino (1 Cro 27.33), cujos conselhos eram tidos como praticamente infalíveis (2 Sm 16.23), havia se passado para o lado de Absalão. No meio de toda aquela tremenda dificuldade, Davi ora : Oh SENHOR, torna em insensatez o conselho que Aitofel fornecer.

Davi reconhece que o momento é de grande perigo, pois com os conselhos de Aitofel, Absalão tinha tudo para ser bem sucedido política e militarmente. Assim ele apela ao único poder capaz de intervir e desqualificar os conselhos de Aitofel.

Depois de orar, Davi encontra Husai, outro de seus conselheiros, que está pronto para acompanhá-lo. Davi o convence a voltar e dizer que está do lado de Absalão, para anular o conselho que Aitofel desse a Absalão. Husai aceita a idéia de ser um espião no meio do grupo de Absalão. Ele se apresenta e Absalão o aceita (2 Sm 16.15-19).Deus já estava respondendo a oração de Davi, usando meios aparentemente naturais: a percepção e idéias de Davi para sabotar os planos de Absalão, a disposição de Husai em cooperar, e a aceitação de Husai por Absalão.

Absalão recebe dois conselhos de Aitofel (2 Sm 16.20-23; 17.1-3), o primeiro ele de bom grado aceita e cumpre, já o segundo, apesar de reconhecer que o conselho era muito bom e a coisa certa a fazer, Absalão decide ouvir Husai. Novamente notamos Deus gerenciando a situação para cumprir seus propósitos, respondendo à oração de Davi.

As pessoas tinham tal respeito pelo conselho de Aitofel, que estes eram comparados à Palavra do próprio Deus. Mas, desta vez o conselho dele é recusado, e o de Husai é aceito (2 Sm 17.14). E aconteceu assim porque Deus havia ordenado que o conselho de Aitofel, que era o melhor, fosse frustrado. Deus usa a insensatez de Absalão e de seus anciãos para responder à oração de Davi. O conselho que Aitofel foi quebrado.

Deus estava dispondo os meios para responder à oração. Ele respondeu usando a inteligência e sagacidade de Davi, a disposição de Husai em cooperar; a crença de Absalão de Husai estava falando a verdade; a insensatez de Absalão e seus anciãos em recusar o conselho melhor, etc. Deus pode, e algumas vezes usa o sobrenatural, mas na maioria das vezes Ele responde às nossas orações nos levando a ver e usar os recursos que Ele dispõem diante de nós.

Nem sempre Deus responde de modo milagroso, podemos até dizer que, na maioria das vezes Deus não responde de modo aparentemente sobrenatural, mas isto não significa que Ele não esteja agindo. Quando oramos por emprego, devemos também distribuir currículos nas empresas, sair de casa e ir atrás de lugares de trabalho; quando oramos para passar em um concurso, devemos nos esforçar em estudar; quando oramos pela cura, devemos também consultar médicos, e tomar remédios; e assim por diante. Deus gerencia os meios para responder às nossas petições.

Feche os olhos para pedir, e depois os abra para ver os meios que Deus está usando para dar a resposta.

2 comentários:

JOSÉ ROBERTO disse...

Excelene mensagen:Que possamos sempre tira proveito dessas mensagens para nossa vida.Que sempre:O NOSSO DEUS possa te dar sabedoria para edificaros os irmãos e perdidos que estão se desviando do reino de DEUS. QUE DEUS ABENÇOE O SEU LAR E O SEU MIISTÉRIO. PASTOR ALMIR.

JOSÉ ROBERTO disse...

PR.EU QUIS DIZER MINISTÉRIO.