sábado, 17 de outubro de 2009

O DESAFIO DE CRIAR FILHOS EM TEMPOS DIFÍCEIS!

Segunda Parte
Criar filhos em tempos difíceis é um grande desafio, mas também uma grande oportunidade. Os pais de Moisés demonstram isto Êxodo 2.1-10; Atos 7.18-22; Hebreus 11.23. Eles nos ensinam que é preciso fé e visão. Coragem é outra característica daqueles pais. A ordem do rei não os amedrontou.
Por já terem dois filhos, até poderiam usar a desculpa de que já havia cumprido sua parte na propagação da raça que já haviam dado a sua contribuição para o crescimento da nação. Seu nome para o futuro já estava garantido. Por que correr riscos por esse bebê? O Faraó os maltratou, quis colocar o medo no coração daqueles pais para que abandonassem desistissem de criar seus filhos. Os pais de Moisés resistiram com uma fé corajosa. É preciso coragem para enfrentar os perigos e as ameaças do mundo, e assumir o cuidado dos filhos. Os ataques da incompreensão de vizinhos, professores, colegas, e até dos próprios filhos; as ameaças de falsas amizades, os perigos da liberdade sem os limites da disciplina. A fé em Deus não se amedronta e com coragem faz o que é preciso para criar os filhos de modo que agrada a Deus. Visão sem coragem é sonho frustrado. Visão sem ação é apenas boa intenção.
Era uma fé sábia, que não se deixou enganar, mas que percebeu as prioridades de Deus naquele momento. O Faraó usava de astúcia, isto é, artimanhas, esperteza, falsos argumentos, que pareciam ser bem elaborados (At 7.19). Seu objetivo era que os pais abandonassem os filhos, e assim estes não sobrevivessem. Também hoje o mundo usa de astúcia, deseja que os pais abandonem os filhos.
Quantos pais são enganados pelos argumentos falsos do mundo e se descuidam dos filhos! Por pensar que os bens materiais é a verdadeira qualidade de vida, mães abandonam a missão de criar os filhos para aumentar a renda da família! Por acreditar que a escola ou mesmo a igreja são capazes de dar toda a instrução necessária, pais tem se despreocupado com o ensino de virtudes morais para seus filhos. Por considerar que o tempo vai cuidar de tudo, eles não se importam em disciplinar para que os filhos cresçam diligentes. Por crer que dizer "não" pode frustrar a criança, eles permitem que a criança cresça cheia de vontades e manhas, e não aprenda a lidar com as contrariedades. Por valorizar mais a aparência física, mães deixam os filhos aos cuidados de outros e vão para cuidar de sua própria beleza e amizades! É preciso sabedoria para perceber o que é mais importante, o que é de maior valor, e investir nisso, sem se deixar enganar pela astúcia do mundo.
Nossa fé deve ser criativa. A mãe de Moisés revela isto. Ela busca soluções para driblar a fúria do Faraó. Faz um cesto de juncos, uma espécie de miniatura dos barcos de papiro que navegavam no Nilo. Coloca seu filho nele, e põe a outra filha para vigiar. Ela deixa seu filho, mas não para morrer. Parece incrível, mas ninguém mais teve aquela idéia! Precisamos ousar criar soluções de acordo com o ensino bíblico para salvar nossos filhos das ameaças do mundo. É preciso criatividade para driblar a astúcia do mundo. Muitas vezes temos a visão e a coragem, mas somos negligentes em pensar em soluções criativas. Temos preguiça de pensar e fazer as coisas de forma diferente da maioria. Achamos mais cômodo seguir a maioria, fazer como todo mundo faz. A fé em Deus será criativa em buscar soluções para salvar os filhos da influência do mundo.
A fé deve estar disposta a sacrifícios. A mãe de Moisés se dispõe a amamentar o filho até certo tempo, e depois deixá-lo ir com a princesa (Ex 2.9,10). O que isto demonstra? Uma disposição para o sacrifício, trabalhar para Deus, sem a perspectiva de ver os resultados do trabalho ainda nesta vida. É provável que os pais de Moisés não viram a grande obra que seu filho realizou. Mas indicaram que tinham confiança em Deus para cuidar de seu filho, quando ele estivesse longe dela. É preciso fé para fazer sua parte e confiar que Deus cuidaria do restante. Também disposição para deixar seu filho cumprir o plano de Deus, mesmo que ela não possa acompanhar todos os passos dele. Aquela mãe não criou o filho para si, mas para Deus. Quantos pais não demonstram esta disposição e confiança de deixar seus filhos nas mãos de Deus para cumprir a obra que Deus tem para eles! Mas agarram seus filhos a si, como se fossem sempre deles. Criam os filhos de maneira que estes não ousam obedecer a Deus, não criam nos filhos a fé que se dispõe a fazer o que Deus quer. Pais que comportam-se como pais apenas quando é conveniente, mas não estão dispostas a enfrentar desafios, a fazer sacrifícios.
Foi um desafio para Anrão e Joquebede criarem filhos naqueles tempos difíceis, mas também uma grande oportunidade. Ao agir com este tipo de fé eles legaram ao mundo três filhos influentes: Miriam, que se tornou profetisa (Ex 15.20); Arão, o primeiro sumo sacerdote do povo de Israel; e Moisés, o libertador e legislador daquele povo.
A fé que os pais de Moisés tiveram vai se revelar no filho. Ele também mostra conhecimento de valores maiores do que a riqueza do Egito (Hb 11.26), disposição para se sacrificar em prol do Reino de Deus (Hb 11.24,25), coragem para não temer o Faraó, e visão do invisível (Hb 11.27). Criaram um herói da fé, formaram um dos maiores homens da história da humanidade. Que o exemplo deles inspire os pais de hoje a terem uma fé, visão, coragem e criatividade para criar filhos de acordo com a vontade de Deus, e a não jogá-los nos rios do mundo.

3 comentários:

Karla disse...

Nossa, Pr Almir,
Essa foi uma das melhores analogias que já ouvi. Como seria uma benção se os pais entendessem mais a responsabilidade de se criar um filho. Sou professora de crianças e tenho visto as absurdas consequências da sociedade moderna. Sempre tenho dito que temo o futuro!
Que Cristo volte logo!!!

Pr. Luíz disse...

Sinceramente não sei se já houve algum tempo fácil para se criar filhos desde que nosso pai Adão caiu, contudo arisco-me a dizer que trocaria toda opressão imposta pelo Egito para este desafio do que o terrível e atual sistema mundando com seus valores e suas sutilezas pecaminosas e vãs filosofias humanistas. No entanto a receita que o amado irmão extraiu da Palavra é útil para qualquer época. Parabéns e obrigado pelo desafio!

Recomendo aos leitores do blog "O Caminho Para o Filho Andar" [Lou Priolo] do NUTRA ministério de Aconselhamento da Igreja Batista Pedras Vivas. Compáravel ao Clássico "Pastoreando o Coração da Criança" de Tedd Tripp pela Fiel

http://www.pedrasvivas.com.br/nutra/form_pedido.html

http://www.chamada.com.br/livraria/detalhes/?cod=CPFA

Pr. Luiz Correia
[Prega a Palavra]

Almir Marcolino Tavares, disse...

Muito obrigado pela sugestão do livro pastor. Não conhecia. Agradeço sua contribuição para ajudarmos os pais a enfrentarem este grande desafio de criar filhos. Um abraço