sábado, 10 de outubro de 2009

O QUE É PRECISO PARA CRIAR FILHOS EM TEMPOS DIFÍCEIS?



1ª Parte
Criar os filhos é uma tarefa que exige muito. Criá-los numa época de opressão e ameaças é um desafio ainda maior. O que é preciso para ter sucesso nesta tarefa quando os poderes espirituais e humanos se unem para destruir nossos filhos? Há um caso na Bíblia que nos mostra a possibilidade e a maneira de criar grandes homens em época de profundas aflições. Esta história nos é contada em três textos: Êxodo 2.1-10; Atos 7.18-22; Hebreus 11.23.
O povo de Israel estava no Egito. Os tempos de bonança e privilégios haviam passado, agora novos tempos aparecem, e estes são de aflição e perigos. O medo domina o novo rei do Egito, e ele ordena o assassinato dos filhos dos hebreus (Ex 1.22). Formar uma família numa situação destas é um verdadeiro desafio. Mas a vida não para por causa dos perigos, e casar e gerar filhos faz parte da rotina da vida, independente das ameaças e problemas. Por isso um homem da tribo de Levi se casa e sua esposa concebe um menino. A ordem do cruel Faraó é que o menino seja jogado no rio Nilo, onde morreria afogado, e/ou devorado por crocodilos. O que fazer?
Nossos tempos são semelhantes. É verdade que não somos escravos no Egito, nem estamos debaixo de um rei intitulado “faraó”, nem próximos a um rio Nilo. Mas, há outros “faraós” que tentam destruir nossos filhos: as psicologias, pedagogias e leis que impedem os pais de exercerem controle e disciplina, quase que exigindo que desta maneira os joguem nos seguintes rios: o mundo com sua opressiva influência de ondas e modas; a TV com sua propaganda de valores anti bíblicos; a falsa amizade com seus convites por prazeres rápidos e mortais; a escravidão da indisciplina, com seus modos de relaxo e preguiça; o materialismo com suas promessas de enriquecimento rápido e ilícito; as violências do trânsito, dos traficantes, do assédio sexual com suas propostas de justiça própria; e a autonomia libertina, com idéias de independência. O que fazer?
O texto de Hebreus 11.23 nos diz que é preciso para enfrentar os faraós e rios do mundo. Esta fé se manifesta em visão, coragem, criatividade, e disposição para o sacrifício. Os pais de Moisés viram que o menino era bom. O verbo “ver” na língua hebraica incluía os sentidos de “considerar”, “perceber”, “entender”, entre outros (Dicionário Internacional de Teologia do AT, pg 1383). “Bom” indica algo bonito e de valor (a mesma expressão que relata o modo como Deus viu sua criação Gn 1.10).
Por isso a mãe de Moisés o guardou como se fosse um tesouro. Não era apenas mais um menino, mas um menino muito especial, uma riqueza, algo a ser cuidado e preservado. Ela viu o filho com os olhos de Deus. Aquele recém-nascido, odiado pelo Faraó, era amado por Deus, era belo aos olhos de Deus (Atos 7.20). Ela não pensou nos problemas que criar aquele filho exigiria, mas nas possibilidades que aquele menino trazia em si, no potencial que estava ali, no que ele poderia ser. Ela viu o que Deus poderia fazer através daquela vida. Ela já tinha pelo menos dois filhos: uma menina (Miriam) e um menino (Arão). Por que manter aquele recém-nascido? Porque ele não era apenas mais um menino, era uma pessoa com um grande futuro pela frente.
Pais precisam ver os filhos com os olhos de Deus, ver além das circunstâncias. Necessitam olhar além das dificuldades do momento. Devem pensar no futuro, nas realizações que os filhos potencializam. Quantas mulheres abortam seus filhos por levar em conta apenas os obstáculos que eles serão, os prejuízos que trarão, as dificuldades que enfrentarão para criá-los. Quantos abdicam de cuidar filhos por buscarem uma vida mais cômoda, sem problemas. Vêem nos filhos apenas mais bocas para alimentar, mais trabalho a realizar. Não pensam neles como mais cabeças para pensar, mais dentes para sorrir, mais braços para realizar grandes obras, mais pernas para caminhar adiante de nós! A fé em Deus vê o que Deus pode fazer em e através de nossos filhos.
Pense no que seus filhos poderão ser nas mãos de Deus. Em tudo que Deus poderá fazer neles e através deles. E então note que vale a pensa gastar tempo com eles, esforçar-se por eles, investir neles, orar por eles, levá-los à igreja, etc. Veja seus filhos como tesouros doados por Deus, para você cuidar.

Nenhum comentário: