terça-feira, 8 de março de 2011

A Certeza de que nada vai faltar.


Há alguns anos ouvi uma história ocorrida durante a segunda guerra mundial. Crianças acolhidas num abrigo tinham dificuldades para dormir. Estas crianças haviam passado períodos de fome. Alguém percebeu que o que as impedia de dormir era a dúvida se teriam alimento no dia seguinte. Passou-se a dar a cada uma um pedaço de pão para que elas dormissem segurando-o. A partir daí as crianças conseguiram dormir com tranqüilidade. Elas dormiam segurando a certeza de que o alimento do dia seguinte não iria faltar.

A verdade é que vivemos melhor quando temos algo em que nos segurar para suprir as nossas necessidades. Quando há uma reserva financeira para os imprevistos; a despensa tem alimento para o mês inteiro; as contas já estão pagas; temos um plano de saúde; temos a certeza de que nosso emprego vai durar toda nossa vida; etc. Temos que admitir que a dúvida de que nossas necessidades serão supridas é algo altamente perturbador. Quantas noites de sono você já perdeu por conta desta dúvida? Quantos dias você passou de mau humor, ou sem ânimo para fazer as coisas? Ou mesmo, quantas doenças já contraiu por causa desta preocupação? Mas, já pensou em viver com a certeza de que nada lhe faltaria?

É possível isto? Você pode perguntar. Diante de tantas incertezas e adversidades na vida é possível viver com a certeza de que nada irá me faltar? Um versículo da Bíblia que diz que é.

É um dos versículos mais conhecidos da Bíblia. Provavelmente é o primeiro versículo memorizado pelas crianças.

Creio que você já percebeu que estou falando do Salmo 23.1: O SENHOR é o meu pastor e nada me faltará. O salmo inteiro é bastante familiar. Creio que, depois da oração do Pai Nosso, esta o seja a porção bíblica mais citada em filmes. Esta familiaridade é um perigo. Falando sobre isto, Robert Ketcham, autor do livro Salmo 13, Nada me faltará, disse o seguinte: “Ninguém dá valor àquilo com o que já está acostumado. Acho que a finalidade dessas palavras é indicar que a apreciação ou a aversão por certas situações pode ser gradualmente modificada pela associação constante. O certo é que a longa familiaridade com uma passagem das Escrituras,... pode fazer com que alguém embote o fio da apreciação, não sentindo mais o seu impacto”.

É provável que por conta da familiaridade com este salmo não percebemos a sua riqueza para nossas vidas. O primeiro versículo, que resume todo o salmo, já demonstra esta riqueza. Duas grandes declarações são feitas: O SENHOR é o meu pastor, e a segunda que é conseqüência da primeira: Nada me faltará. Ter uma vida com a certeza de que nada vai faltar é para os que têm o SENHOR como seu pastor, aqueles que foram feitos ovelhas do seu pastoreio (Sl 100.3).

O escritor deste salmo já tinha sido pastor de ovelhas. Ele sabia que a principal função de um pastor é cuidar das ovelhas. Providenciar que elas tenham alimento, descanso e proteção. Ele mesmo já havia guiado suas ovelhas pelos arredores de Belém para que elas tivessem estas coisas. Já havia inclusive arriscado sua vida para que suas ovelhas fossem salvas (1Sm 17.34,35). Ele também já havia experimentado em sua vida o suprimento do Pastor de Israel (Gn 49.24). Davi muitas vezes precisou de alimento, descanso e proteção, e Deus nada havia lhe deixado faltar. Por isto ele pode fazer uma declaração tão ousada, tão confiante. O restante do salmo é uma exposição da grande confiança de Davi no cuidado de Deus. Ele descreve Deus como o Pastor e como um Anfitrião que recebe Seu povo em Sua casa.

Tal como Davi cada um de nós pode ter a mesma certeza de que nada vai nos faltar. Basta seguirmos Jesus como nosso Pastor.

Um comentário:

Pastor Edson Sobreira Alves disse...

Pastor, que maravilha poder confiar na provisão de Deus, se todos os cristãos confiassem plenamente no provedor de todas as coisas, eles trabalhariam com mais disposição na obra de Deus, pois não ficariam tão obstinados para adquirirem tesouros na terra. Pastor queria que o senhor fizesse uma critica no último artigo que escrevi: "Você é de Cristo? Existe um grande perigo se continuar pecando". Um irmão de Minas Gerais criticou dizendo que eu estava sendo um legalista, já esclareci minha intenção com minha mensagem, mas gostaria de ver seu parecer, não quero estar escrevendo heresias. Um abraço, obrigado.