sexta-feira, 17 de agosto de 2012

O PIOR AINDA PODE ACONTECER!

 
      
        “O pior aconteceu!” esta frase é muita usada, e indica que um desastre, uma tragédia, algo não desejado e muito temido ocorreu. Mas creio que esta declaração só pode ser aplicada com propriedade a uma única situação.
         “Pior” é um termo usado numa relação de comparação. Expressa algo que não apenas é ruim, mas ruim de uma maneira absoluta, maior do que todas as outras ruindades. Pior é aquilo que é inferior a tudo, abaixo dele não tem mais nada nem ninguém. Pior é o equivalente a estar no fundo do poço, numa situação na qual o prejuízo extremo ocorreu. Pior significa que o mais terrível aconteceu.
         Pensando assim, nosso uso comum da frase “o pior aconteceu” é sempre relativo, pois a vida sempre pode piorar. Nenhum de nós passou pela situação pior, ainda. Por mais trágico que tenha sido o acontecimento, ainda poderia ser pior. Por mais gente que tenha morrido, ainda poderia ter morrido mais. Por mais grave e dolorosa que foi a doença, ainda poderia doer mais. Por maior que tenha sido o prejuízo, ele ainda poderia ser pior. E assim por diante.
         Não estou negando que não haja situações trágicas e dolorosas. Existem, e muitas. Há doenças que maltratam bastante. Há desarmonias que ferem nossa alma. Há decepções que nos arrancam pedaços. Há frustrações que nos fazem desejar a morte. Há fracassos que nos dão a impressão que o mundo acabou. Há medos que nos paralisam. Há perdas que nos deixam perdidos. Imagino a situação de um pai que não tem recursos para saciar a fome de seus filhos, isso é terrível. Penso ainda nos pais que perderam um filho, isto é uma tragédia que causa uma dor que nunca será curada nesta vida. Enfim, há muitas situações funestas. Mas nenhuma dessas ainda é a pior.
         Quando a vida é pensada corretamente, a declaração de que o pior aconteceu só pode ser aplicada, de modo absoluto, a uma situação: sermos condenados diante do Tribunal de Deus.
         A verdade de que haverá um juízo para todos é afirmada do início ao fim nas Sagradas Escrituras. Vamos lembrar apenas alguns textos. Em Eclesiastes 11.9 e 12.14 lemos “Alegra-te, jovem, na tua mocidade, e alegre-se o teu coração nos dias da tua mocidade, e anda pelos caminhos do teu coração e pela vista dos teus olhos; sabe, porém, que por todas essas coisas te trará Deus a juízo”. “Porque Deus há de trazer a juízo todas as obras, até as que estão escondidas, quer sejam boas, quer sejam más”.
         Jesus afirma em Mateus 12.36 “Digo-vos que de toda palavra frívola que proferirem os homens, dela darão conta no Dia do Juízo.” O apóstolo Paulo, pregando em Atenas, disse “porquanto estabeleceu um dia em que há de julgar o mundo com justiça,” (Atos 17.34). Aos Romanos ele escreveu “no dia em que Deus, por meio de Cristo Jesus, julgar os segredos dos homens, de conformidade com o meu evangelho.” (Rm 2.16) e “Assim, pois, cada um de nós dará contas de si mesmo a Deus.” (Rm 14.12). João teve uma visão do juízo final “Vi também os mortos, os grandes e os pequenos, postos em pé diante do trono. Então, se abriram livros. Ainda outro livro, o Livro da Vida, foi aberto. E os mortos foram julgados, segundo as suas obras, conforme o que se achava escrito nos livros." (Ap 20.12).
         A Bíblia também declara que muitas pessoas serão condenadas neste julgamento. Jesus disse em Mateus 25.41 “Então, o Rei dirá também aos que estiverem à sua esquerda: Apartai-vos de mim, malditos, para o fogo eterno, preparado para o diabo e seus anjos”. Em Apocalipse 21.8 é dito “Quanto, porém, aos covardes, aos incrédulos, aos abomináveis, aos assassinos, aos impuros, aos feiticeiros, aos idólatras e a todos os mentirosos, a parte que lhes cabe será no lago que arde com fogo e enxofre, a saber, a segunda morte”. Ainda em Apocalipse 20.15 lemos “E, se alguém não foi achado inscrito no Livro da Vida, esse foi lançado para dentro do lago de fogo”.
         O Senhor Jesus afirmou que pior do que passar por sofrimentos nesta vida, é receber o castigo eterno. Em Mateus 10.28 Ele afirmou “Não temais os que matam o corpo e não podem matar a alma; temei, antes, aquele que pode fazer perecer no inferno tanto a alma como o corpo”. E em Mateus 18.8: “Portanto, se a tua mão ou o teu pé te faz tropeçar, corta-o e lança-o fora de ti; melhor é entrares na vida manco ou aleijado do que, tendo duas mãos ou dois pés, seres lançado no fogo eterno”. Poderíamos parafrasear estas últimas palavras assim “é pior manter os membros do corpo e não entrar na vida, mas ser lançado no fogo eterno”. Jesus está dizendo que há algo pior do que os sofrimentos desta vida.
        Imagine chegar diante de Deus e ouvir “apartai-vos de mim malditos, para o fogo eterno, preparado para o diabo e seus anjos” (Mateus 25.41). Isto sim, será o pior que nos pode acontecer.
         Diante do juízo de Deus tudo o mais se tornará comparativamente irrelevante. Todo sofrimento aqui, comparado à condenação eterna, é quase nada. Todo prazer desfrutado aqui perde seu encanto quando comparado ao desprazer de ser rejeitado por Deus e lançado para uma eternidade no lago de fogo!      
        Isto é o que de pior nos pode acontecer. Sabendo disso, devemos ter duas reações:
         - Uma de alento: já que o pior ainda não aconteceu, ainda há esperança!
         - Outra de advertência: já que o pior ainda pode acontecer, é preciso tomar cuidado, e acertar a vida com Deus, antes que isso aconteça!

4 comentários:

meninovei disse...

belíssimo artigo pastor, Deus continua te abençoando.

edna disse...

Edna Maria disse...

Doi na alma, ao lembrar que muitos não dao gredito neste fato que vai acontecer.
Muito bom sua post.Deus o abençoe sempre...

18 de agosto de 2012 23:38

Tibério Bezerra disse...

Pastor, GRAÇAS A DEUS, nós, crentes, nunca sentiremos o desprazer do pior. Louvado seja Deus.

Que Ele continue dando mais sabedoria ao senhor. Excelente postagem!

Pastor Junior disse...

Obrigado por nos abençoar aqui em Cabo Verde com suas postagens no blog. Continue assim e que Deus te abençoe sempre mais e mais.

Espalhando a Glória do Mestre - Pr. Junior e Família