quinta-feira, 13 de dezembro de 2012

UMA ORAÇÃO FEITA NA HORA DA MORTE E RESPONDIDA UM ANO DEPOIS


Neste último domingo foi comemorado o dia da Bíblia. Em muitas cidades de nosso país há uma praça que homenageia a Bíblia, recebendo o nome de “Praça da Bíblia”. Há muitas opções de leitura e audição da Bíblia ao nosso dispor, tanto impressas como digitalizadas. É tão comum termos a Bíblia em nossa língua e em nossas mãos, que não imaginamos que há cinco séculos pessoas morreram para que hoje se pudesse ter este privilégio.  
Uma destas pessoas foi William Tyndale (1495-1536). Ele era um clérigo inglês que se dispôs a traduzir a Bíblia para a língua de seu povo, de modo que qualquer um pudesse ler e entender. Em sua época era ilegal traduzir ou copiar qualquer trecho da Bíblia. Pessoas eram queimadas por ensinarem o Pai Nosso em inglês para seus filhos. Antes dele, John Wycliff (1328-1384) e alguns de seus seguidores fizeram uma tradução para o inglês manuscrita e que continha vários erros de tradução e cópia.   
A liderança da Igreja não queria que o povo tivesse a Bíblia em suas mãos, e a ignorância e corrupção do clero eram grandes. Tyndale declarou para um clérigo: Se Deus poupar minha vida... farei um jovem camponês que empurra o arado conhecer a Bíblia melhor do que você”.  Para empreender este projeto ele teve que deixar a Inglaterra em 1523, sem autorização do rei, o que aumentava o risco de sua vida.   
Em 1525 sua primeira tentativa de imprimir o Novo Testamento malogrou, pois as autoridades atacaram de surpresa a gráfica. Mas em 1526 o Novo Testamento foi impresso na Alemanha e, durante cinco anos, quinze mil cópias foram contrabandeadas para a Inglaterra em sacos de cerais e barris de peixes. Um arcebispo comprou um grande número para destruir. Só que isso contribuiu para financiar uma edição melhor.
William Tyndale continuou revisando e aperfeiçoando sua tradução, até que em 1535 saiu a edição definitiva, em um estilo popular, pronta para ser entendida pelo homem simples. Cópias foram levadas para a Escócia e ajudou a promoção da Reforma naquele país.  Ele mudou-se para a Bélgica para traduzir o Antigo Testamento, mas só conseguiu traduzir os cinco livros de Moisés, os históricos até 2ª Crônicas, e o livro de Jonas. Ele foi traído por um colega, então preso e condenado à morte.
Suas últimas palavras foram uma oração gritada: “Senhor, abre os olhos do rei da Inglaterra”. Depois da oração ele foi estrangulado e seu corpo foi queimado.
Enquanto esteve preso, um de seus colaboradores completou a tradução do Antigo Testamento, e um ano depois de sua morte, o rei da Inglaterra aprovou a publicação da Bíblia na versão de Tyndale. Esta tradução teve profundo impacto e influência nas traduções subsequentes e na história do cristianismo no mundo.
O fogo queimou o corpo de Tyndale, mas não os frutos de seu trabalho! Hoje temos a liberdade de ter a Bíblia em nossa língua e em nossas mãos. 
Se quiser ver uma versão de sua história num vídeo de seis minutos acesse http://www.youtube.com/watch?v=rzpueVS7Htk
                

Um comentário:

Marcos Paulo Soares disse...

Obrigado por essa postagem. É necessário não esquecermos daquele que nos antecederam nesse ministério de tradução da Bíblia.