segunda-feira, 26 de setembro de 2016

DEUS É PROTEÇÃO TANTO NA GRANDE TEMPESTADE COMO NO FORTE CALOR

Tanto quem está sob o escaldante calor de um deserto, como quem está no meio de uma tormentosa tempestade têm um mesmo desejo: desfrutar de  um lugar de proteção.  Para o primeiro uma sombra seria um achado extremamente valioso, pois lhe abrandaria o calor e lhe refrescaria o corpo, permitindo um descanso restaurador. Para o segundo, o tesouro a se encontrar seria uma casa que lhe abrigasse do vento e do aguaceiro da chuva, providenciando calor para aquecer seu corpo.
Algumas vezes as aflições da vida nos atingem como uma sequidão do deserto, noutras como uma tempestade que nos açoita com a força do vento e tenta nos carregar como enchentes de chuvas. Seja qual for a sensação, só há uma solução, a sombra e abrigo que vem do Senhor.
Porque foste a fortaleza do pobre e a fortaleza do necessitado na sua angústia; refúgio contra a tempestade e sombra contra o calor; porque dos tiranos o bufo é como a tempestade contra o muro, como o calor em lugar seco. Tu abaterás o ímpeto dos estranhos; como se abranda o calor pela sombra da espessa nuvem, assim o hino triunfal dos tiranos será aniquilado. (Isaías 25.4,5)
            Estes versículos fazem parte de um cântico entoado pelo profeta Isaías, agradecendo a Deus pelo livramento realizado, no qual foram manifestos Sua soberania, Seu poder e Sua fidelidade. Deus havia destruído as fortalezas dos inimigos causando temor e conversão (Is 25.1,2).
            É um louvor a Deus porque se tornara a fortaleza do pobre e do necessitado em suas angústias. Deus é retratado como uma morada segura para proteger aqueles que se encontram desvalidos e abandonados em suas aflições. É comparado a um refúgio que abriga contra a tempestade e uma sombra que protege do calor.
            No tempo de Isaías o povo de Deus enfrentava a angústia na forma de ameaças e opressões dos grandes impérios. Eles eram cruéis, brutais e violentos. Eram os tiranos da época. Aproximavam-se com uma fúria tão grande, que Isaías compara a respiração deles ao vento de uma tempestade batendo contra um muro. O desastre que causavam era tão intenso que se assemelhava à aridez e sequidão de um deserto.
            Algumas vezes o povo não esperava em Deus e buscava refúgio em outras nações, mas elas falhavam e deixavam envergonhados todos que corriam atrás de abrigo em sua sombra (Isaías 30.2,3).
            Mas Deus estava agindo, Ele abateria o movimento estrondoso e violento destes tiranos da mesma forma que uma espessa nuvem abranda um forte calor. Isaías já havia profetizado um tempo, no qual Deus criará uma situação de sombra contra todo calor e esconderijo contra toda tempestade (Isaías 4.5,6). Isso ocorreria com a vinda do Rei justo (Isaías 32.1-3).
            Hoje também enfrentamos tiranos dos mais variados tipos, que nos perseguem e oprimem. Como ventos de uma tempestade que tentam nos derrubar, ou o aguaceiro de uma chuva que tenta nos impedir de caminhar. São situações angustiosas de crueldade e opressão que deixam nossas almas secas como um deserto. A vida fica abrasada, como um terreno queimado, sem nenhum refrigério. A aridez é tanta que chegamos ao ponto de desmaiar sem esperanças.     
Somos também tentados a buscar refúgio e sombra nos recursos humanos. Mas, descobrimos que esses abrigos desabam junto com os temporais e as sombras se acabam na hora do calor mais intenso.
            Ainda hoje Deus está agindo e Ele pode se tornar nosso refúgio na hora da turbulência e nossa sombra contra o ardor. Ele já enviou o Rei Messias, Jesus Cristo, que abateu a maior tirania que nos afligia: nosso pecado, as forças espirituais que nos tentam e nossos acusadores (Colossenses 2.13-15).
Ele nos uniu ao ao Seu Filho, e nele estamos escondidos, podendo encontrar abrigo e proteção tanto das tempestades que tumultuam nossa nossa vida e podem nos levar ao desespero, como do calor que nos desanima, causando desesperança (Colossenses 3.3).  Escondidos n’Ele, esperamos o dia quando nenhum ardor nos queimará 
Jamais terão fome, nunca mais terão sede, não cairá sobre eles o sol, nem ardor algum, (Apocalipse 7.16).







2 comentários:

Agrimar Mazinho disse...

Muito bom Pr. Almir! Só em Deus temos verdadeira proteção e restauração!

Agrimar Mazinho disse...

Muito bom Pr. Almir! Só em Deus temos verdadeira proteção e restauração!