segunda-feira, 3 de dezembro de 2007

GUARDADOS DE TROPEÇAR

          Havia uma pedra no meio do caminho! Quem dera fosse verdade que só houvesse uma pedra em nossos caminhos!            Descobrimos que são muitas as possibilidades de tropeçarmos em nossa caminhada. Não há apenas uma pedra, mas várias.
          Andar é correr o risco de tropeçar e cair. Todos que andam já tropeçaram. ou quando pequenos, começando a aprender a andar, ou na velhice, quando a vista e as pernas já não estão tão fortes, e até  entre estes dois períodos.

          Alguns tropeços causam apenas um pouco de atraso em nossa caminhada, já outros podem deixar marcas e cicatrizes que sempre carregaremos conosco. Algumas vezes tropeçamos em pedras que acidentalmente aparecem em nosso caminho, noutras em pedras que foram colocadas propositalmente para nos fazer tropeçar. Seja num caso ou noutro, nossos tropeços foram causados por nossa falta de atenção. É sempre bom ter alguém que nos avisa das pedras em nossos caminhos.

          O peregrino em sua caminhada para adorar em Jerusalém, também corria o risco de tropeços. Viajava a pé, por caminhos íngremes, cheios de curvas, não planos, rochosos e perigosos. O tropeçar e o cair eram sempre uma possibilidade. Mas ele clamava para não cair, pedia que Deus não permitisse que seus pés vacilassem (Sl 121.3). Naquelas estradas cheias de obstáculos, o peregrino confiava que Deus enviaria seus anjos para não deixá-lo tropeçar nas pedras (Sl 91.11,12).

          A expressão  “Pés que escorregam” também poderia expressar a possibilidade da perdição final (Dt 32.35), ou o cair da fé (Rm 14.4). Este é um tropeço grande, de consequências eternas. Só Deus pode nos impedir desta queda.

           A Bíblia nos fala de várias são as pedras que podem nos fazer cair:

- os ídolos (Dt 7.25); 
- o fazer justiça com as próprias mãos (1 Sm 25.31); 
- as dúvidas e a inveja da prosperidade dos ímpios (Sl 73); 
- a nossa própria prosperidade (Sl 69.22); 
- o apego aos nossos pecados (Mt 5.29,30); 
- as perseguições (Mt 13.21); 
- as pessoas que estão conosco mas não pensam conforme os propósitos de Deus (Mt 16.23);  - os escândalos que inevitavelmente virão do mundo (Mt 18.6,7); 
- a crença na salvação pelas obras (Rm 9.32); 
- os escândalos provocados por outros irmãos (Rm 14.13); 
- os irmãos que provocam divisões (Rm 16.17); 
- o mau uso da liberdade que temos em Cristo (1 Co 8.9); 
- a nossa desobediência à lei de Deus (Tg 2.10); 
- o uso da língua (Tg 3.2): 
- e os falsos ensinos (Ap 2.14). 
 Não há apenas uma pedra no meio do caminho, mas muitas! Mas Deus nos guarda dos tropeços.
           Para nos guardar dos tropeços Deus nos deu a Sua Palavra. Para quem anda conforme a Palavra de Deus não há tropeços (Sl 119.165). Obedecê-la é como andar na luz do dia, onde as pedras podem ser vistas e evitadas (Jo 10.9,10).

          Obediência a esta Palavra inclui esforço e dedicação. Somos exortados a diligenciarmos em fazer firme nossa salvação (2 Pd 1.10). Jesus advertiu severamente e por duas vezes para tomarmos a decisão radical de cortar toda atitude e atividade pecaminosa, que pode nos fazer tropeçar (Mt 25.29,30; 18.8,9). O autor de Hebreus nos anima em fortalecer os joelhos desanimados, a fim de evitarmos a queda (Hb 12.12).

          A oração é outro método usado por Deus para nos impedir de tropeçar e cair. Por isso que Jesus nos ensinou a orar Não nos deixe cair em tentação (Mt 6.13)

          Mas no final é a Sua misericórdia que nos impede de cair (Sl 94.18). Podemos até chegar ao quase, como Asafe (Sl 73.2), mas podemos confiar que Deus é poderoso para nos guardar de todos estes tropeços, e nos
apresentar com exultação, imaculados diante da sua glória (Jd 24).
          Tal qual o peregrino, podemos confiar que chegaremos à Jerusalém, à nossa Jerusalém celestial, guardados por Aquele que não permite que nossos pés vacilem.

Um comentário:

Francieuda disse...

Amém! É maravilhoso lermos palavras verdadeiras, termos a certeza, mesmo que pedras se ponham diante de nós, teremos nosso Deus nos ajudando a não tropeçarmos. Louvado seja Deus pelo o belo amor para com os seus filhos.!