segunda-feira, 14 de julho de 2008

Amor Total – Parte 2

Jesus não estava inovando quando resumiu a Lei em amar a Deus de todo coração, alma e força. Esta verdade já estava declarada desde quando Deus dera a Lei. É um princípio repetido nas Escrituras, mostrando que Deus não apenas quer ser amado por nós, mas quer ser amado na intensidade certa (Dt 6.5).
Tanto Moisés como Josué mostraram que era apenas isto que Deus exigia de seu povo. Podemos ler as palavras de Moisés em Deuteronômio 10.12 assim: E então Israel, o que é que o SENHOR seu Deus requer (deseja) de você? Que apenas (tão somente) você tema o SENHOR seu Deus, e ande em todos os seus caminhos, e O ame, e sirva o SENHOR seu Deus de todo seu coração e toda sua alma.
Josué, quando se dirigiu às duas tribos e meia do povo de Israel que ficariam um tanto distante das demais, disse: tão somente tomem extremo cuidado para fazer conforme os mandamentos e a lei que Moisés, servo do SENHOR deu a vocês, para amar o SENHOR seu Deus ... de todo o seu coração e de toda a sua alma (Josué 22.5).
O que é necessário para amar a Deus com esta intensidade? Uma obra de Deus em nossos corações. Somos propensos a amar com intensidade total tudo que não é Deus. Nosso país, nossa família, nossas posses, nosso time, etc., especialmente amamos intensamente a nós mesmos. Em Deuteronômio 30.6 Deus disse que circuncidaria o coração do povo. Isto significa que, Deus iria limpar, converter, o coração de Israel. Só assim o povo poderia amá-Lo de todo coração e alma. Deus agiria desta forma com o propósito de produzir vida no povo. Amar a Deus de todo coração e alma é sinal de que temos a vida criada pelo próprio Deus em nós.
Como nosso coração é facilmente atraído por outros amores, também é preciso uma grande vigilância de nossa parte. Josué faz esta advertência duas vezes. No texto já lido acima (Josué 22.5), é dito para tomar muito cuidado. A palavra traduzida como “diligência” em nossas versões é a mesma para “força” em Deut 6.5. Isto indica que devemos vigiar com muita força para poder amar ao SENHOR. E em Josué 23.11 é dito: tomem muito cuidado com a alma de vocês para amar o SENHOR seu Deus.
Amar a Deus com todo o ser requer separar-se de modo radical de todos os amores que tentam nos seduzir para longe de Deus. Sejam filhos, pais, cônjuge, ou amigos. Devemos amar profundamente nossos cônjuges e podemos ter um grande amor por um amigo, mas a intensidade de nosso amor a Deus deve ser maior do que estes amores (Deut 13.6-12).
O que se ganha amando a Deus com esta intensidade? Amar a Deus com toda intensidade do ser é escolher a vida, é amar a vida, pois estamos amando quem nos dá vida (Deut 30.19,20). Deus promete abençoar os que o amam de todo coração e alma (Deut 11.13). A misericórdia do SENHOR acompanha estas pessoas ( Deut 5.10; 7.9).
Amar a Deus com tal intensidade excede qualquer ritual religioso (Mc 12.33).
Deus quer ser amado, amado acima de qualquer outro amor, e amado com toda intensidade do nosso ser.

Nenhum comentário: