sexta-feira, 19 de junho de 2009

A ORAÇÃO É A SOLUÇÃO, MAS ... (1ª parte)




“Solução”, palavra quase mágica. Ouvir a frase “Eu achei a solução”, é sentir o alívio de um problema que nos atormenta, é ver a saída para a dificuldade. É começar um sorriso que afugenta a tristeza. Queremos soluções. E se houver uma única solução para todos os problemas, aí é que é bom! Seria como um só remédio para várias doenças. Como alguém que tem diabetes, pressão alta, e enxaqueca, e precisar tomar apenas um comprimido para ficar curado de tudo.

Em certo sentido, passamos a vida a correr atrás de soluções, pois são muitos os problemas que enfrentamos. Carecemos de solução para nossa falta de sabedoria em lidar com as situações difíceis da vida; precisamos de soluções para os conflitos que enfrentamos em nossos relacionamentos; queremos soluções para nossas tristezas; quando doentes almejamos soluções que nos curem.

Há um livro na Bíblia que nos apresenta uma só solução para nossa falta de sabedoria, nossos conflitos, nossas tristezas e doenças. Um só remédio para todos estes males. É o livro de Tiago. Ele foi escrito para os cristãos judeus primitivos, que após o martírio de Estevão foram dispersos e enfrentaram muitos problemas, e precisavam de soluções. Este livro nos apresenta a oração como solução. Mas, da mesma forma que um remédio deve ser tomado obedecendo a certas prescrições para poder produzir os efeitos desejados, Tiago também nos diz que a oração é a solução se realizada sob certas condições. Portanto, a oração é a solução, mas...

A oração é a solução para a falta de sabedoria (Tg 1.5-8). No contexto desta passagem somos informados que as provações são oportunidade para o crescimento, e por isso devemos nos alegrar com elas. Tiago está refletindo o ensino de Jesus no Sermão do Monte (Mt 5.10-12). Mas, para que isto ocorra é preciso sabedoria. Sem sabedoria as provações tornam-se motivos de frustrações, tristezas, desentendimentos, desânimos e fracassos. O amadurecimento só ocorre quando as dificuldades da vida são enfrentadas com sabedoria. De fato, o maior problema, não é a adversidade, mas a maneira como lidamos com ela. Por isso precisamos de sabedoria. Como consegui-la?

Tiago nos diz que, já que carecemos de sabedoria para enfrentar estes testes, devemos pedir a Deus. Ele, com coração bondoso, gentil e sincero, dará a sabedoria que precisamos de forma generosa, sem nos censurar ou repreender. Deus vai agir como um professor que tem a maior boa vontade em ensinar o aluno que quer aprender, por isso ensina o aluno com um sorriso no rosto. Foi assim com Salomão, foi lhe dada a chance de pedir qualquer coisa, ele pediu sabedoria, recebeu-a com fartura, e ainda teve o elogio divino (1 Rs 3.9-12). O mesmo pode acontecer conosco. Podemos pedir sabedoria, e Deus promete no-la dar.

Mas, há uma condição para se receber esta sabedoria: fé. A falta de fé significa dúvida que leva a pessoa a ter uma mente dividida. É a pessoa que fica temerosa, hesitante, oscilante, vacilando em agir confiando no que Deus disse. Tal como as ondas do mar, ela é levada pelos altos e baixos de seus sentimentos e opiniões dos outros. Sem firmeza, sinceridade e entusiasmo para com as promessas de Deus, seu coração fica dividido, e ela não deve esperar que receberá alguma coisa de Deus. Ela estará sempre desassossegada com os problemas que a vida lhe apresenta. Foi isto que aconteceu com os discípulos, que por falta de fé não souberam enfrentar uma situação de necessidade (Mt 17.20). Já Abraão, que teve sua fé provada quanto a promessa de um filho, não duvidou (Rm 4.20s), por isso foi atendido.

A oração é a solução para a falta de sabedoria, mas ela deve ser feita com fé, pois a incredulidade mata a eficácia da oração.


Nenhum comentário: