segunda-feira, 22 de junho de 2009

A ORAÇÃO É A SOLUÇÃO, MAS ...(2ª Parte)


A oração é a solução para os conflitos nos relacionamentos (Tg 4.1-3).
Conflitos inter-pessoais, quem nunca os enfrentou?! Acredito que nos deparamos com eles em todos os nossos relacionamentos. Contendemos com cônjuge, pais, irmãos, colegas, etc. Desde pequenos disputamos. Nossos desentendimentos são pelos mais variados motivos: brinquedos, comida, espaço, amigos, nome, e outros mais. Por que que brigamos tanto? O que fazer para cessar os conflitos?
Tiago nos dá respostas a estas perguntas. Primeiro ele nos diz por que brigamos. Toda disputa, conflito e contenda, que há entre as pessoas, surge de outra guerra que há dentro de cada pessoa. As tensões entre nós são geradas pelas tensões dentro de nós. Temos que admitir que as razões pelas brigas nos relacionamentos estão em nós, e não nos outros. Guerreamos por que há uma guerra dentro de nossos corações.
Esta guerra interior se dá por causa de nossos desejos de desfrutar os prazeres. Estes, como uma tropa militar numa batalha, disputam espaço nos nossos membros, lutando contra nossa alma (2 Pd 2.11). Sempre que estes desejos vencem, nós perdemos, pois o ceder aos desejos insaciáveis do mundo gera descontentamento. A pessoa sempre está a desejar mais, e nunca se dá por satisfeita. O prazer mundano gera frustração, e para nos livrarmos dela ansiamos por mais prazer, e mais frustração é produzida. Os prazeres mundanos nos iludem. Prometem algo que não podem cumprir. São como algodão doce colorido, tão pomposo e bonito, faz a boca se encher de água ao contemplá-lo. Mas na primeira bocada, só vazio! Comemos tudo, mas a sensação de que algo ficou faltando continua.
E quando não conseguimos realizar nossos desejos? Aí nos brigamos. Quando a satisfação do desejo é ameaçada nós disputamos. O medo de perder aquele prazer nos leva a contender. Assim ficamos possuídos por uma raiva assassino e uma inveja constante. Por isso odiamos, ofendemos e magoamos. Assassinamos as pessoas com palavras agressivas, gestos frios, atitude de indiferença. Manifestamos nossa inveja falando mal, difamando, desdenhando com palavras e gestos, zombando, rebaixando, etc.
A Bíblia nos diz que a oração é a solução para isto. A falta de oração produz uma vida de cobiças, invejas, e carências, que nos levam a guerrear uns com os outros. Estas disputas deixam evidentes tanto nossa falta de dependência de Deus, como nossa crença no poder de nossa capacidade. Ao invés de orar, disputamos com outros. Ao invés de depender de Deus, confiamos em nossos recursos e estratégias de manipulação. Por isso disputamos. Se ao invés de disputar nós pedíssemos a Deus, os conflitos cessariam, porque nossas tensões interiores se acalmariam numa sossegada confiança na sabedoria e poder de Deus.
Mas, há uma condição para que nossa oração seja atendida. É preciso saber pedir corretamente. Porque pedimos e não recebemos? Por que pedimos mal. Pedimos pensando nos nossos prazeres, e não em cultivar a glória de Deus. Pedimos para dissipar nos prazeres. Pedimos pensando na nossa gratificação e egoísta e cobiçosa. Pedimos por amor ao mundo e não por amor a Deus. Somos como mulheres que pedem dinheiro ao marido pensando em gastar no motel com o amante (Tg 4.4). É preciso abandonar o mundanismo, deixarmos de ser adúlteros em nossos desejos. Devotar nosso amor apenas a Deus, e não dividi-lo com o mundo (Tg 4.8).Assim teremos um coração satisfeito (Sl 37.4).
Tem enfrentado conflitos em seus relacionamentos? Quer acabar com eles? Ore para que Deus elimine a sua gana por desejos mundanos, acabe com sua ilusão de que o algodão doce do mundo pode matar sua fome, convença você de que as cisternas rotas do mundo não produzem água que sacia sua sede. Sonde seu coração quanto ao que você pede a Deus. Você pede para satisfazer seus prazeres, ou para servir a Deus? E aquilo que for para glorificar a Deus e ajudar você a cumprir a missão que Ele tem para você neste mundo, pode ter certeza que Ele lhe dará.
A oração é a solução para os conflitos, mas deve ser feita sem amor ao mundo, pois o mundanismo mata a eficácia da oração.

Um comentário:

Pr. Rômulo Monteiro disse...

Interessante insight sobre a relação entre cobiça, luta interior, frustrações e relações conturbadas e como isso pode refletir em nossas orações. Deus continue te abençoando!!! Do seu AINDA aluno.