sábado, 29 de maio de 2010

SEU FILHO PRECISA DE DISCIPLINA - 1ª PARTE


Disciplina não é uma palavra muito apreciada. Pelo contrário, ela é nos provoca aversão. Preferimos fazer o que queremos, na hora que quisermos. Desde cedo isto é manifestado. Mas, esta atitude traz destruição para nossas vidas. Uma pessoa sem disciplina caminha para o prejuízo certo. Para impedir que cresçamos sem disciplina Deus nos deu pais. É dever dos pais disciplinar os filhos. Deus também nos disse como disciplinar.

O termo que o Antigo Testamento usa para “disciplina”, comporta as idéias de: julgar, argumentar para convencer, repreender verbalmente, castigar fisicamente, reprovar um comportamento. Tudo isso é ligado pelo sentido original da palavra que é “mostrar o que é correto”. Entendemos que para mostrar a maneira certa de viver, um pai deve julgar o comportamento do filho, argumentar para mostrar o que é o certo a fazer, repreender verbalmente quando este comportamento estiver errado, e quando necessário, reforçar a repreensão com castigos físicos.

Isto pode parecer fora de moda, mas é o que a Bíblia ensina. Vamos observar alguns versículos, apenas no livro de Provérbios, e apresentar algumas características da disciplina que os pais devem aplicar aos filhos.

A disciplina é um sinal de amor. Em Pv 3.12 temos duas afirmações unidas por uma comparação: Deus disciplina aqueles que Ele ama, assim como o pai disciplina aquele que quer bem. Podemos tirar três conclusões disto:

1) A disciplina tem como padrão a pessoa de Deus. Ele é o Supremo Pai, e Ele disciplina seus filhos. Ele tem compartilhado com os pais terrenos está responsabilidade, a de disciplinar seus próprios filhos.

2) A disciplina é uma maneira de valorizar o filho. A expressão “quer bem” indica a idéia de “manifestar favor”, “alegrar-se com”, “desejar o bem de”. Sendo assim, um pai que disciplina seu filho está demonstrando que deseja o bem dele, e que o filho lhe é um tesouro muito precioso, no qual ele se alegra.

3) Amar é desejar o bem da outra pessoa. No verso, “ama” faz paralelo com “quer bem”. Um pai que quer que seu filho se dê bem na vida, irá discipliná-lo quando necessário. Amar um filho não é sinônimo de satisfazer-lhe as vontades, mas de fazer o que for necessário para o bem dele. Com certeza, um pai que procura aprender da Palavra de Deus, sabe o que é bom para o seu filho.

A disciplina deve começar cedo. Pv 13.24, também nos traz duas afirmações, só que desta vez ligadas por oposição: aquele que não faz uso da vara aborrece a seu filho, mas, aquele que ama o seu filho, desde cedo o disciplina. Além de confirmar que a disciplina é um ato que demonstra amor, outras conclusões podem ser alistadas.

1) A disciplina pode ser dolorosa, inclui o castigo físico. O termo vara indica algo usado para castigar, causar dor (Ex 21,20). O exemplo também vem de Deus, Ele também usa situações dolorosas para disciplinar seus filhos (2 Sm 7.14; Is 10.15).

2) O fato de um pai não querer infligir dor a seu filho quando este necessita de disciplina, não é sinal de amor, mas de ódio. O não disciplinar indica que o pai está mais preocupado consigo mesmo, com o que outros vão pensar, com o que o seu filho vai achar dele, em não querer criar problemas em casa, passar por constrangimentos, ou desconfortos, que uma disciplina traz. Este pai não está pensando no bem do filho, mas apenas no seu próprio bem-estar.

3) A disciplina deve começar cedo na vida da criança. O pai que espera o filho ficar mais taludo, pode já ter começado tarde demais, e a disciplina não mais funcionar.

Se você ama seu filho, você irá discipliná-lo, desde cedo. Agora se você não o ama, deixe ele crescer do jeito que ele quiser, e depois, agüente.

4 comentários:

Pastor Edson Sobreira Alves disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Pastor Edson Sobreira Alves disse...

Pastor muito obrigado pelo ensino. Pastor é interessante como o modelo atual do mundo, com regras ditadas pela psicologia moderna, foge totalmente do padrão bíblico, onde os filhos não podem ser contrariados, pois, segundo eles podem acarretar traumas prejudicando no seu desenvolvimento, então não podem ser disciplinado com a vara no momento certo. Hoje podemos observar o resultado da juventude criada sem disciplina, onde não há mais o repeito aos pais, onde os filhos ditam as normas do que eles querem e devem fazer e os pais autorizam tudo. A mudança de valores, a falta do respeito com amor são os resultados do distanciamento dos ensinos das Escrituras. Mesmo em nosso meio o padrão bíblico tem sido negligenciado.
Um abraço.

IL disse...

Olá. olá. A meu ver disciplina não faz mal a ninguém. Já a falta dela... Acho funfamental as crianças crescerem já pautados pela disciplina.

Forte abraço.

Thaline Livia disse...

Pastor... eu raramente faço comentários, mas sempre estou por aqui... Aprendo muito lendo seu blog! Muito obrigada por acreditar e manter esse ministério! Quanto a disciplina de filhos, temos aqui uma base maravilhosa para defendermos e obedecermos a palavra de Deus... A minha filha ainda está na barriga, mas já estou certa de que devo discipliná-la... e de que devo começar cedo...
Muito obrigada mais uma vez pelo ensino...