segunda-feira, 12 de novembro de 2007

O PREÇO DA PAZ


   Quem me dera ter paz! esta frase expressa  o desejo de muitas almas. O compositor do Salmo 120, também cantou seu anseio por paz na sua peregrinação para Jerusalém: A minha alma habita há muito tempo entre os que odeiam a paz! (Sl 120.6). Mas a paz tem seu preço!      
    Uma das condições para a paz é a justiça (Is 32.17). A violação da justiça abre a porta para a paz ir embora. Ela se recusa habitar debaixo de paredes rachadas pela injustiça. Seu retorno depende das injustiças serem reparadas. 
       A Bíblia demonstra esta verdade usando a expressão “fazer a paz” para indicar o pagamento de alguma dívida ou a restituição de algum prejuízo. Em Êxodo 21.36, 2 Reis 4.7 e Ezequiel 33.14,15,  a palavra que em nossas versões foi traduzida como “pagar”, literalmente é “fazer paz”. 
    A falta de paz se dava pelo prejuízo causado ou pela dívida não paga. Para apaziguar a pessoa ofendida o preço deveria ser pago. Algumas vezes este pagamento era uma atitude de submissão (Lc 14.32; 1 Co 14.33). Assim os gibeonitas conseguiram a paz diante de Josué (Js 9,10.1).          
    Às vezes alguns pagavam para que outros tivessem paz. O reinado de Salomão foi de imensa paz, porque seu pai, o rei Davi, havia feito as guerras para subjugar os reinos ao redor. A geração de Davi pagou o preço da paz que a geração de Salomão desfrutou (1 Rs 4.20-27; 5.1-4). 
    Em outras situações um mediador  faria a paz (At 7.26; 12.20).      
   Toda falta de paz em nossa vida advém das injustiças cometidas contra Deus. A ausência da paz com Deus gera todos os outros problemas. O preço para se ter paz com Deus deve ser pago. Os adoradores do Antigo Testamento  faziam ofertas de paz,  algumas vezes chamadas de  “sacrifícios de ações de graças” (Sl 50.14,). Aquelas ofertas de paz eram apenas sombras da oferta suprema que seria feita pelo Príncipe da paz, que ainda estava por vir (Is 9.5,6).
      Jesus veio como Mediador da paz com Deus, para nos guiar pelo caminho da paz (Lc 1.79). Ele nos reconciliou com Deus, Ele fez a paz. Deu sua própria vida como pagamento (Ef 2.14,15,17; Cl .1.20). Ele pagou o preço da nossa paz.
       Como podemos desfrutar desta paz? Pela fé. Devemos acreditar que Jesus Cristo pagou a nossa dívida com Deus, assim Deus foi apaziguado e nós fomos reconciliados com Ele (Rm 3.25,26). A injustiça que cometemos contra Deus foi reparada e nós fomos justificados de nossos pecados através de Jesus Cristo, agora pela fé, temos paz com Deus (Rm 5.1).      
    Esta fé se demonstra em um propósito firme de seguir a Jesus (Is 26.3). Obedecendo aos Seus caminhos, deixando-se orientar pelo Espírito Santo (Rm 8.6), pois é o Espírito que produz a paz (Gl 5.22). Confiando na sabedoria divina e não seguindo seus próprios conselhos (Tg 3.17). Aceitando a disciplina de Deus, sabendo que este Deus nos disciplina para podermos desfrutar de paz (Hb 12.11).
      Paz que é desfrutada mesmo diante de ansiedades, pois somos exortados a colocar as preocupações diante de Deus, em orações e Sua paz vai nos encher (Fp 4.6,7). É paz usufruída  sem medo, mesmo no meio de aflições, pois ela vem de ouvir as palavras de Jesus e segui-las (Jo 14.27;16.33).
      Esta confiança não elimina nosso trabalho em viver em paz com as pessoas. Devemos nos esforçar por manter laços de paz com nossos irmãos (Ef 4.3). Este empenho pela paz inclui o afastamento do mal (1 Pd 3.11). 
        Alguns prometem uma paz sem preço, uma paz barata. Apenas colocam bandagens nas feridas, algo que alivia dor, mas não cura a infecção. Prometem que as pessoas podem viver em seus pecados e ainda ter paz (Jr 6.14; 8.11). Esta é uma falsa paz. 
      Aqueles que desfrutam da verdadeira paz devem anunciá-la a outros. Evangelizar é anunciar a paz de Deus através de Jesus Cristo (At 10.36; Ef 6.15).

3 comentários:

Silene disse...

Acho que Paz é um requesito imprescindivel sem a qual nossa alma não viverá neste mundo. So fremos tribulações, lutas e desencantos, mas quando vislumbramos essa Paz que excede todo o entendimento que só Deus pode dar, tudo o mais se torna pequeno, insignificante e passageiro.

Abigail disse...

Parabens pelo blog!!! AS mensagem me ajudaram e ensinaram muito!!!! Obrigada!!!!

Itamar Maia disse...

Obrigado Pr. Almir, por continuar pastoreando mesmo quem​ não conhece e está longe. Deus nos abençoe com paz.