quinta-feira, 17 de abril de 2008

OS CISNES CANTAM MAIS DOCEMENTE QUANDO SOFREM


As palavras do título desta postagem vieram do livro "O Sorriso Escondido de Deus", de John Piper (pg. 9).
Tanto a Bíblia como a natureza nos ensinam que o sofrimento pode nos fazer cantar melhor. Nos sofrimentos os cisnes cantam com mais doçura. No Brasil temos o exemplo do pássaro Assum-Preto, que depois de ter seus olhos furado passa a cantar o dia todo.
A mesma verdade pode ser aplicada à Davi, o doce salmista de Israel (2 Sm 23.1), pois ele escreveu vários de seus salmos em horas de sofrimento. Um exemplo é o salmo 3, que foi composto quando fugia de seu filho Absalão. Fugir de um filho já é algo tremendamente trágico para qualquer pai, e no caso de Davi era pior, pois além da vida, o filho queria seu trono.
A história nos é contada em 2 Sm 15-17. Após quatro anos de subversão, Absalão liderou uma rebelião aberta. Quando tomou ciência da revolta, Davi fugiu, pois sabia que esta era sua única alternativa naquele momento, pois muitos haviam  se aliado à Absalão.
Enquanto fugia, subindo pelo monte das Oliveiras, Davi e o povo choravam com a cabeça coberta. Um desafeto resolveu atirar-lhe pedras e xingá-lo de assassino, bandido e homem sem valor. Davi se sentia frustrado, triste, envergonhado e com dúvidas. O que tinha de mais precioso estava deixando para trás. Sua vida parecia estar entrando em colapso.
Com mais de 60 anos, Davi teve que lidar com os problemas que a notícia repentina lhe trazia: planejar uma fuga rápida, tomar decisões no meio da pressão, enfrentar uma subida íngreme, acalmar os acompanhantes e suportar a angústia interior.
Ele chegou às margens do Jordão, cansado e estressado (2 Sm 16.14). Ali passou pelo menos uma noite. Será que foi nesta ocasião que compôs este salmo? Ou depois de ter atravessado o Jordão quando organizava o exército para a defesa (2 Sm 17.27-18.2)? Ou mesmo quando ficou no acampamento esperando o resultado da guerra (2 Sm 18.4)? Todas essas eram ocasiões de aflição, necessidade e exaustão.
Mas o cisne canta mais docemente nesta hora! O salmo é uma oração em forma de poesia, onde Davi contou a Deus o seu problema de modo realista: são muitos os inimigos, muitos os revoltosos, e muitos os que o desanimam dizendo que Deus não mais o salvará. (versos 1,2).
Davi não era um sonhador otimista que havia cegado para a realidade. Ele via a situação como ela se apresentava, e a colocou diante de Deus.
Mas ele também via Deus como Ele é: o seu escudo, a sua glória, Aquele que era capaz de animá-lo, mesmo quando tudo era motivo para desânimo (verso 3). Então ele clamou com a confiança de que seria ouvido. Mesmo longe de seu palácio, da arca do Senhor, de sua Jerusalém amada, e com sua vida e reino ameaçados, ele sabia que podia deitar, dormir e levantar, porque era Deus quem o segurava (verso 5). Mesmo perseguido em um deserto, ele não ficava assustado por causa dos muitos inimigos. Já que muitos estavam se levantando contra ele, pediu que Deus se levantasse a favor dele. Já que muitos estavam dizendo que Deus não iria salva-lo, ele pediu para Deus salvá-lo. Porque é somente Deus quem pode salvar e abençoar os seus (versos 6,7).
Quando estiver em situações de sofrimento, lembre-se de Davi. Conte a Deus sua aflição, mas também, lembre-se de quem Deus é para você. Não se deixe levar pelas palavras de desânimo, clame a Deus. Mesmo quando perseguidos, em desespero e dúvida, cansados, estressados, podemos deitar, dormir, acordar e cantar

Quando a luta está travada, ventos fortes sopram em mim
Quando sinto-me cercado, e a força chega ao fim
Quando a vida destrói sonhos, e os vales são reais
Deus me dá quando a Ele clamo, asas espirituais.
(Hino "Asas Qual Águias", de Ron Hamilton, Tradução de Paulo C. Bondezan, publicado no Hinário Voz de Melodia, 2004).



4 comentários:

fatima disse...

No sertão, fala-se que para cantar melhor, perfuran-se os olhos do Assum-preto,pássaro da região.Bem assim somos nós, sempre que atormentados materialmente,nossa proximidade com Deus sempre é mais pura e intensa, e Ele sempre estar de prontidão para nos socorrer.Bom seria que não precizasse perfurar nossos olhos mas......

Thiago disse...

Olá pastor!
Este tema tem acompanhado minha vida há um bom tempo e cada vez mais percebo que Deus corrige a quem ama e muitas vezes Ele usa o sofrimento para sermos mais santificados para o Seu louvor! Tenho buscado ser mais santificado do que ser útil,pois se eu for santificado primeiro certamente serei utilizado por Deus. Obrigado pela sua participação nisso e creio que ao ler esse comentário o senhor não se orgulhará mas dará glórias a Deus, por ter sido um instrumento de graça nas mãos de Deus! Deus o abençõe. Seu aluno, Thiago Santos de Oliveira - Cubatão/SP

Janete Maia disse...

Achei uma leitura maravilhosa! Você soube conduzir de maneira bastante clara os sofrimentos de Davi causados pelo seu filho, e ao mesmo tempo, ressaltou a fé, a perseverança e a coragem do homem de Deus, que busca auxílio em quem realmente poderá lhe ajudar. Infelizmente, nós, na maioria das vezes agimos de maneira diferente e em situações que não chegam perto da que Davi enfrentou. Desiludimos-nos por muito pouco. Realmente esta passagem da vida de Davi merece nossa atenção.

Silene Bezerra disse...

Normalmente as dificuldades nos cegam a visão de que Deus continua presente. Diferentemente de Jó, nos esquecemos que o Nosso Redentor vive e que por fim nos trará alívio em todo sofrimento. Belo texto para meditação. Obrigada.