terça-feira, 6 de maio de 2008

PRIORIZANDO A ORAÇÃO

Uma das dificuldades do mundo moderno é a falta de tempo. Não temos tempo para fazer tudo que nos é oferecido. Temos que escolher o que fazer. Muitas vezes estas escolhas são motivadas pelas pressões do momento e das pessoas. Aqueles que nos pressionam com mais força, ou mesmo as situações aparentemente mais urgentes e as necessidades mais imediatas acabam tomando nosso tempo.
O problema é que nem sempre quem pressiona mais, ou o que está mais próximo ou parece mais urgente é o mais importante. Uma das atividades importantes que acaba sendo deixada de lado por conta do que parece ser mais urgente é a oração. O Senhor Jesus Cristo também enfrentou este tipo de problema, só que Ele priorizou a oração. Isto é demonstrado no texto de Marcos 1.35-39.
Para Jesus a oração era mais importante do que o descanso. Várias vezes somos informados que Jesus passava noites em oração após um dia de intensa atividade. Em Marcos 1.35 é dito que ele levantou muito cedo para orar E de manhã quando era muito escuro, depois de levantar, saiu e foi para um lugar deserto e lá orava.
Jesus estava na cidade de Cafarnaum, que, em virtude de sua posição estratégica, ele escolhera como sede de seu ministério na Galiléia (Mt 4.13). O dia anterior havia sido um sábado cheio de atividades. Pela manhã Jesus estivera na sinagoga, ensinara de modo que as pessoas ficaram maravilhadas, enfretara um endemoninhado. Saindo da sinagoga fora para a casa de Pedro, e ali curara a sogra deste. Depois do por do sol, os enfermos e endemoninhados da cidade vieram até Jesus. Toda a cidade reuniu-se à porta da casa de Pedro, e Jesus os atendeu. (1.21,29,32). Podemos deduzir que Jesus fora dormir um tanto tarde, e que o dia fora cansativo.
Mas ele acordou cedo para orar. O texto indica que era ainda muito escuro, o que dá a idéia de um horário entre as três e seis horas da manhã. O cansaço não impediu Jesus de orar. De fato o cansaço não nos impede de fazer aquilo que valorizamos, aquilo que achamos extremamente necessário. Você pode estar muito cansado, mas quando se depara com uma situação onde a ação é necessária, ou mesmo que você gosta bastante, o cansaço é deixado de lado. Quando não oramos é porque achamos que não precisamos, ou porque não gostamos de orar, ou mesmo as duas coisas. Jesus precisava orar, e gostava de orar. Por isso a oração venceu o cansaço.
Para Jesus a oração era mais importante do que a necessidade imediata das pessoas. Jesus estava numa fase de muita popularidade. As pessoas estavam empolgadas com Ele. Elas o buscavam com intensidade para que Ele atendesse suas necessidades mais urgentes: saúde e perturbações demoníacas. Estas perturbações poderiam provocar problemas familiares, falta de paz, desejo de morrer, afastamento da sociedade, comportamentos de loucura, opressão, etc. Evidentemente que eram problemas sérios, que precisavam de solução. Mas com certeza, nenhum destes é o problema mais sério da vida. Ter a salvação eterna é a necessidade maior de todas as pessoas, e esta era a principal missão de Jesus, mas as pessoas não compreendiam isto.
Os próprios discípulos não entendiam que este era o bem maior a ser buscado. Eles pensam que Jesus está perdendo uma grande oportunidade, diante de tantas pessoas que o procuram. Procuram Jesus com muita assiduidade, para que Jesus continuasse atendendo as necessidades imediatas das pessoas. Só que para Jesus, era mais importante orar do que socorrer as pessoas nestas necessidades. O sucesso não o empolga, nem o desânimo diante da incompreensão o aflige, Ele busca forças no Pai, em oração.
Por priorizar a oração Jesus usou certas estratégias para praticá-la. Levantou-se cedo, num horário em que poucas pessoas haviam levantado, quando as interrupções não seriam freqüentes. Temos que procurar um tempo quando poderemos orar sem o risco da interrupção. Jesus buscou um lugar onde pudesse estar sozinho. Era mais difícil de ser encontrado. Temos que encontrar condições de tempo e local onde podemos estar a sós com Deus.
Por priorizar a oração Jesus entendeu corretamente sua missão e encontrou forças para não se afastar dela. Havia muitas pessoas que o buscavam naquela cidade, mas Ele sabia que sua vinda ao mundo tinha como propósito pregar em outros lugares, então não permitiu que a pressão das pessoas, nem suas necessidades imediatas atrapalhassem o seu ministério. A oração fez Jesus manter Suas prioridades e não se deixar levar pelos desejos da multidão e necessidades do momento. A sintonia com o Pai foi mantida.
Ema nossa vida de oração sofrerá com a pressão das pessoas, necessidades imediatas , cansaço, etc. Estas coisas tentarão nos impedir de orar. Vamos tomar cuidado. Um amigo compartilhou um ditado que pode ser aplicado à nossa vida de oração: Quem quer, dá um jeito, quem não quer, dá desculpas. Vamos dar um jeito de orar, e não desculpas para não orar. Como Jesus, vamos priorizar a oração.

Nenhum comentário: