quinta-feira, 1 de maio de 2008

Quero falar com o chefe.

Há alguns anos um comercial da TV apresentava um cliente de um banco que entrava na agência querendo falar com o chefe. Não aceitava falar com secretária do chefe, o assistente do chefe, nem o vice-chefe, só o chefe servia. Algumas situações na vida só se resolvem se falarmos com o chefe.
Os salmos de Asafe testemunham isto. Nestes doze salmos verificamos que o salmista falava sempre com o Chefe. Neste caso o Chefe era Deus. Creio que este é o tema maior de todos estes salmos: O Supremo Deus governa o mundo, Ele é tanto Chefe do Seu povo, como de todas as nações.
No salmo 50 o salmista apresenta a mensagem de Deus chamando-o de SENHOR, o Deus Supremo, que convoca céus e terra para testemunhar o julgamento que Ele fará tanto sobre o povo da aliança ( povo que entrou em acordo para que Ele fosse o Seu Deus) como sobre os ímpios. Este Chefe indica o que Ele quer dos homens: uma vida de dependência, manifestada em gratidão, busca de ajuda quando necessário, e obediência aos seus mandamentos.
O salmo 73 é um confissão. Nela Asafe nos conta como por pouco não se afastou de Deus ao invejar os ímpios que prosperavam em seus caminhos maus. Mas logo ele entendeu que Deus também é o Chefe que governa sobre os ímpios que prosperam. Ele os destruirá de modo tão completo, como o sonho que acaba assim que a pessoas acorda. Este Deus deve ser o nosso bem supremo, não podemos trocá-Lo por nada. Ele é o nosso instrutor, nossa força e esperança.
Diante dos ataques destruidores de um povo pagão o salmista fala com o Chefe em oração tanto no Salmo 74 como no 79. Não seria a temporária vitória do inimigo que faria o salmista deixar de acreditar na Soberania de Deus. Ele manifesta toda sua confiança nesta Soberania, quando indica que o ataque do inimigo só foi bem sucedido por que Deus ficou passivo, cruzou os braços, por estar irado contra o pecado so Seu povo. Diz que Deus é o Rei desde a antigüidade, que Ele é o Dono de tudo. Por isso é que Ele clama por socorro a este Deus. Alguns entendem que a doutrina da Soberania de Deus pode criar barreiras para a oração, pelo contrário, é a crença num Deus que é Soberano, que domina sobre tudo, que deve nos levar a orar, especialmente nos momentos de dificuldade.
Deus é O Soberano que não apenas julga a terra, mas também determina o tempo que irá julgar, e sustenta a terra até que o tempo do julgamento chegue, diz o salmista no cântico do Salmo 75. É ele quem exalta e humilha as pessoas. Por conta disto devemos anunciar as Sua maravilhas ao mundo.
Deus é o Chefe que deve ser temido, por sinal o único que deve ser temido, pois até a ira dos homens Ele faz com que redunde para Sua Glória. Espera-se dos que são Dele que cumpram os votos que fizeram. É dito no cântico do salmo 76.
Mesmo diante da perplexidade de clamar e não ser atendido, mesmo ficando um tanto desnorteado por estar angustiado e buscar a Deus e não encontrar resposta, o salmista ainda crê que Deus é o Soberano que mostra o Seu poder entre os povos. Quando sofre diante da aparente inatividade de Deus, o salmista medita no que Deus já fez. Salmo 77
O salmo 78 é uma instrução indicando que, diante de tudo que este Deus Soberano já fez, é um tremendo pecado não O tratar com consideração. Cada geração deve cuidar para não repetir os erros do passado, mas aprender a confiar em Deus e ser fiel a Ele.
No salmo 80, o salmista pede ao Rei que tem seu trono entre o querubins que venha salvar o Seu povo. Reconhece que é Deus quem está enviando o sofrimento para o povo. Sabe que uma restauração do povo depende do Soberano operar nos corações, e por isto clama que Deus faça o seu povo se arrepender. A crença na soberania de Deus, ao invés de impedir a oração pela conversão das pessoas, incentiva esta oração, já que esta conversão depende de Deus.
Este Deus Soberano almeja que Seu povo lhe seja fiel. Mostra no salmo 81 que Ele abençoa os que se voltam para Ele. Já que Ele é poderoso, e tem o controle de tudo em suas mãos, Ele pode abater todos os inimigos que se voltam contra Seu povo.
Deus é o Supremo Governante sobre todos os governos. O salmo 82 mostra como Deus preside sobre os juizes da terra. Ele é o Supremo Tribunal onde todos os governos terão que prestar contas, pois todas as nações pertencem a Deus.
Na oração do Salmo 83, o salmista clama para que Deus faça justiça, para que as nações saibam que SOMENTE TU, CUJO NOME É SENHOR, ÉS O ALTÍSSIMO SOBRE TODA A TERRA.
Note que em toda e qualquer situação, o salmista procurava o Chefe. Fosse para louvar pela grandeza ou para clamar diante da necessidade. Por gratidão ou aflição Ele sempre procurava o Supremo Chefe.
E você, não acha melhor falar com o Chefe ?

Nenhum comentário: