quarta-feira, 15 de outubro de 2008

O MENINO QUE ABRIA AS PORTAS

Algumas pessoas não valorizam a instrução cristã para as crianças. São poucos que se dedicam a evangelizá-las, edificá-las e treiná-las para o trabalho de Deus.
Notamos isto nos lares, quando os pais valorizam muito mais a instrução profissional e secular de seus filhos, do que a religiosa. Também nas igrejas, que não se preocupam em treinar pessoas, providenciar material adequado, e lugares apropriados para que as crianças recebam instrução.
As razões para esta atitude são variadas. Alguns não acreditam que as crianças sejam capazes de um aprendizado eficaz. Outros talvez não vejam muito valor em se gastar tempo e recursos com um investimento destes, de longo prazo. Ainda outros podem achar que seu trabalho não será proveitoso.
Quando olhamos para a Bíblia notamos que Deus deu muita importância para a instrução das crianças. Várias vezes Ele ordenou que lhes fosse ensinada a Sua Palavra (Dt 4.9; 6.6,7; Sl 78.6). Jesus abençoou as crianças, e repreendeu os discípulos que queriam impedir que elas chegassem até Ele (Mc 10.13-16).
Mas há outra maneira que Deus demonstrou dar valor as crianças: Ele aceitou a cooperação delas no serviço do Seu Reino.
Samuel foi uma destas crianças que Deus usou. Ele foi envolvido desde cedo no serviço da adoração e cuidado do templo(1 Sm 2.11,18; 3.1). A palavra usada para falar do serviço refere-se ao trabalho realizado por levitas e sacerdotes. Um serviço muito especial e importante no plano de Deus para Seu povo no Antigo Testamento, pois os sacerdotes representavam o povo diante de Deus, e lidava diretamente com as coisas sagradas. Não sabemos tudo o que Samuel fazia, mas ele estava no tabernáculo, e um dos trabalhos era abrir as portas pela manhã (1 Sm 3.15). O menino Samuel era o porteiro do lugar de adoração. Crianças podem desempenhar trabalhos importantes no Reino de Deus.
É notável a coragem de Samuel. É comum as crianças se desesperarem quando separam-se de seus pais. Notamos isto quando os pais levam seus filhos para a escola pela primeira vez. São poucas as crianças que aceitam naturalmente ficar ali quando seus pais vão embora. Samuel iria ficar um ano sem ver seus pais. Ele era um filho muito querido por sua mãe, até então filho único. Mas tudo indica que aceitou corajosamente ficar servindo a Deus longe de sua cuidadosa e devota mãe. As crianças podem servir a Deus com muita coragem.
É interessante ver como esta criança foi dedicada neste trabalho. Por duas vezes o autor do livro contrasta o comportamento de Samuel, ainda menino, com os dos filhos de Eli, já adultos (1 Sm 2.12-18, 22-26). Crianças podem servir com mais esmero e dedicação do que certos adultos.
Mesmo cercado de maus exemplos, dados pelos sacerdotes da época, que eram filhos do sumo sacerdote Eli, Samuel permanecia fiel em fazer bem o seu trabalho. Crianças podem servir a Deus com fidelidade mesmo no meio de adultos infiéis.
Além do serviço no templo Deus concedeu ao menino Samuel que fosse um profeta, um porta-voz de Deus. Alguém encarregado de ouvir diretamente de Deus a mensagem, e transmitir ao povo (1 Sm 3.10, 19-21). Este é um exemplo notável. Numa época de corrupção religiosa, desobediência, desinteresse pelas coisas de Deus, e frieza espiritual, Deus faz uso de um menino para manifestar Sua Palavra. Crianças podem ser usadas para transmitir a Palavra de Deus a adultos lerdos em obedecer.
Este menino demonstrou uma maturidade e humildade que poucos adultos têm. Pois, depois de ter ouvido a Palavra diretamente de Deus, algo que era muito raro naquela época, ele deu continuidade ao seu trabalho diário (1 Sm 3.1,15). Crianças podem servir a Deus com maturidade e humildade.
Acredito que Ana, a mãe de Samuel, nunca imaginou o que seu filho seria. Ela apenas cumpriu muito bem sua função de mãe: ensinou àquele menino que ele era uma resposta de Deus à sua oração, e que por isso ele seria consagrado ao serviço de Deus. Ela também acreditou que mesmo sendo um pequeno menino, ele poderia ser usado por Deus.
Creio também que Eli não chegou nem perto de pensar na importância que Samuel teria. Mas Eli, apesar de seus defeitos, acreditou que aquele pequeno menino poderia ser usado por Deus.. E por isso treinou Samuel para servir a Deus.
O menino que abria as portas do tabernáculo, mais tarde abriu a porta do serviço profético, pois fundou uma escola de profetas; abriu a porta da vitória e restauração do povo de Israel; abriu a porta para o reinado de Saul; e abriu a porta para o reinado de Davi, o antecedente do Messias. Crianças que servem fielmente a Deus continuarão prestando serviços cada vez mais importantes.
Vamos consagrar nossos filhos ao serviço de Deus, treinar nossas crianças para servir a Deus. Afinal, nós nem imaginamos que grandes portas elas poderão abrir. E mesmo se não chegarem a abrir uma grande porta, elas entrarão pela grande porta do Reino para ser de Deus para sempre.

6 comentários:

Antonio disse...

MARAVILHOSA ESTA MENSAGEM.
É esta falta de educação crista que têm contribuído muito para esse estado de coisa que estamos vivendo nos dias de hoje.
Que Deus nos abençoe, e nos guarde.
Abraços.
AntonioTavares.

Anônimo disse...

Pr. Almir,

Fico extremamente feliz por essa palavra, porque temos sentido na pele, que o mesmo interesse que Deus tem pelas crianças, o mal também tem. Portanto, se não entendermos que a realidade não é essa colocada a nossa frente, seremos sempre pais sem entendimento e míopes.

Um abraço em Cristo,
Marcus Vinícius

Marcos Aurélio disse...

Pastor Almir,
o tempo que passou aqui em Petrolina, no Encontro de Casais, foi abençoador.
Oro para que Deus continue utilizando a rica bagagem de conhecimento bíblico que o senhor possui, para alicerçar os valores bíblicos nos corações de vários irmãos.
Eu e Camila aprendemos muito com as mensagens.
Um abraço, aguardamos a pescaria, Camila já liberou (rsrsrsrs).

Anônimo disse...

Pastor, recentemene li um livro de teologia da educaçao crista de Laurence O. Richards. Ele faz uma critica muito forte sobre nosso sistima atual de ed. infantil, dizendo que o nosso sist. tradicional de ebd nao proporiciona ambiente propício para o apredizado da criança pelo exemplo. O que o sr. acha? Ah, me permita ler sua meditaçao com os professores da ebd de minha igreja.
Obrigado. Renato jr.

iaci disse...

Pr. Almir, foi bom poder ver uma mensagem sua, que o SENHOR te abençoe e te guarde. Um abraço em Zarilene.


De Maria Leal
Vacariaa

Anônimo disse...

Eunice Castelo Branco
Pr.q bom q há pessoas como vc q se preocupam c o ministério q Jesus iniciou em favor de nossas crianças,Tenho a mesma preocupação e entendimento.
Presidente Figueiredo-Am.