terça-feira, 26 de maio de 2009

AMANDO DE FORMA INCONDICIONAL


A palavra “amor” é usada para as várias formas de amar: o amor fraternal, maternal, entre amigos, etc. Mesmo num casamento pode haver várias expressões de amor: o romântico, o físico, o afetivo, e outros. Há casamentos onde não há mais nenhuma destas formas de amar. Surgiram terceiros amantes, o alcoolismo se fez presente, a carreira profissional tomou todo espaço da vida, há o relaxamento nas obrigações e compromissos, as promessas não são cumpridas, e a falta de cortesia se manifesta em atos e palavras. O cônjuge se sente rejeitado como amigo e como amante.
Nesta situação alguns casais buscam a separação; ou aceitam continuar convivendo juntos de forma resignada e indiferente, agüentando um ao outro porque é o jeito. Mas a Bíblia nos apresenta outra solução: aprender a amar o cônjuge incondicionalmente. Como se ama incondicionalmente?
Amar incondicionalmente é amar independente dos méritos do outro. Não é fruto da emoção, mas da vontade, resultado de uma decisão. Não depende da virtude do outro. Procura fazer o bem ao próximo sem levar em conta a maneira como ele nos trata. É o amor que decide contribuir deliberadamente para o bem do outro, não se baseando no que o outro diz ou faz.
Foi assim que Jesus nos ensinou amar (Mateus 5.43-48). Ele disse que devemos amar os nossos inimigos, os que nos perseguem e cometem injustiça contra nós, e também aqueles que falam mal de nós e nos maltratam. Isto inclui o cônjuge que comete estas coisas. No casamento é possível ocorrer estas atitudes: falar mal um do outro por meio de reclamações e murmurações, perseguições através das implicâncias, maus tratos por palavras e agressões físicas, injustiças por negar e se recusar satisfazer os direitos do cônjuge, a até inimizades manifestadas pela indiferença e apatia na convivência diária. Aquele que obedece a Jesus irá amar o seu cônjuge mesmo que ele o trate assim.
O cristão não irá usar a vingança quando seu cônjuge for perverso com ele; não irá brigar quando o outro usurpar seus direitos; irá ceder às exigências, mesmo as injustas; estará disposto a ajudar sempre que o outro precisar (Mateus 5.37-42). Aquele que segue a Jesus irá orar pelo seu cônjuge mesmo que este viva a atacá-lo, irá expressar seu amor com palavras (saudar), mesmo que as palavras do outro sejam ferinas, irá fazer o bem, mesmo quando recebe o mal.
Este tipo de amor é o que diferencia o cristão daquele que não é, e mostra que a pessoa é filha de Deus. Este amor reflete o amor de Deus que faz bem até aos que são maus. É consistente, pois sempre age em prol do que é melhor para o outro.
É impossível amar incondicionalmente sem fazer sacrifício. Foi assim que Deus nos amou (Rm 5.8). Ele não esperou a nossa mudança para enviar Jesus para morrer por nós. Fez isto quando éramos pecadores. É o amor que dá a vida (Jo 15.3). Este amor deve ser vivenciado no casamento (Ef 5.25,26). O cristão fará sacrifícios para manter este amor em seu casamento e família.
Amar incondicionalmente é amar vitoriosamente. Pois este é o amor que vence o mal (Rm 12.21). Mesmo quando rejeitado, e quando o outro não reage positivamente este amor suporta, porque acredita que isto é o certo a ser feito, e também porque espera que o bem irá vencer, e assim se envolve e não fica indiferente. Ele nunca desiste, mas persiste em todas as circunstâncias. Quem ama assim nunca deixa de amar, mesmo quando não é correspondido (1 Co 13.7).
Amar incondicionalmente é amar dependentemente, não do outro, mas de Deus. Este amor não é natural, pois nós não temos condições de amar assim. Somos egoístas, interesseiros. Por natureza só amamos quem nos ama. Exigimos ser amados antes de amar. Por isso precisamos depender do amor de Deus que vêm a nós pelo Espírito Santo (Rm 5.5; Gl 5.22). Necessitamos aprender que nosso amor é secundário, conseqüente, do amor maior “ Nós amamos porque Ele nos amou primeiro” (1 Jo 4.19)
Esta dependência se manifesta em leitura da Bíblia e oração. Para amar incondicionalmente você precisa conhecer o que é o melhor para seu cônjuge. Quem sabe o que é o melhor é Deus, e Ele nos revelou em Sua Palavra. É necessário conhecer a Bíblia para saber como amar incondicionalmente. A oração mostra que não tenho poderes em mim mesmo para amar desta forma, por isto clamo a Deus por este amor.
Este amor trará segurança, descontração, vitória sobre as tempestades da vida, ajudará no crescimento emocional e espiritual, e nos faz livres para obedecer a Deus. Quando meu amor é dependente do que o outro faz comigo significa que sou escravo dele, que estou vivendo sempre em reação a ele, mas quando amo incondicionalmente, fico livre, obedeço a Deus, e faço bem ao cônjuge, independente do que ele faz comigo, isto é liberdade! Amar o cônjuge incondicionalmente é fazer o bem a si mesmo.
Decida amar seu cônjuge incondicionalmente. Manifeste este amor em gestos e palavras. Persista, não desista, mesmo que seu cônjuge reaja mal. Clame a Deus, e se fortaleça lendo a Bíblia. Assuma este compromisso.

9 comentários:

Pr Jerry e Eliete - Conservos no Senhor disse...

Parabéns pelo texto.
Ele expressa a verdadeira essência do amor bíblico. Aquele amor fundamentado no amor maior, o amor de Cristo.
O amor bíblico longe de ter como premissa inicial o sentimentalismo humano, exige sobretudo, a entrega abnegada de direitos pessoais para o bem de outrem. Oh como carecemos aprender a amar assim!

Amar é uma decisão.

Que tal decidirmos amar agora???

Natanael Pantoja disse...

Muito bom esse texto, esse é o amor que devemos ter em nossos corações. É muito triste ver familias sendo destruidas por falta desse amor.

Uma coisa que aprendi é que o amor verdadeiro necessita de esforço. Sem esforço não existe amor. Não importa se for amor de amigo, namorado ou de cônjuge..

Escutei um pastor falando que se vc quer ser feliz não se case, mas se quer fazer alguém feliz então case-se. Isso nunca mais vou esquecer.

Grande abraço pastor almir. Deus o abençoe..

Tibério Cezar disse...

Também me edifiquei com o texto, apesar de não ser ainda casado.
Interessante que esse texto retrata a história de vida de um casal no filme "À Prova de Fogo" (recomendo).
Que Deus te dote de mais sabedoria ainda para compartilhar.

João Paulo Fernandes disse...

“não irá brigar quando o outro usurpar seus direitos; irá ceder às exigências, mesmo as injustas; Aquele que segue a Jesus irá orar pelo seu cônjuge mesmo que este viva a atacá-lo, irá expressar seu amor com palavras (saudar), mesmo que as palavras do outro sejam ferinas, irá fazer o bem, mesmo quando recebe o mal.”

Pastor Almir, o senhor acha que realmente nessas condições elencadas acima, ainda existe amor entre o casal? Até que ponto seria licito a carta de divorcio? E se Deus uniu, porque muito crentes se separam?

João Paulo Fernandes disse...

Esqueci, tenho mais uma indagação. Já que o senhor falou de amor, o amor entre o casal pode acabar?

Fabi disse...

Ola, Pastor sou a Fabiana irmã do Gilson, e saiba que quando li AMANDO DE FORMA INCONDICIONAL fiquei muito emocionada pois, sou casada e tento a todos os momentos AMAR assim, mas nunca tinha me tado conta que poderia ser assim me ajudou bastante a entender melhor algumas coisas obrigada por me adicionar no orkut e me deixar esta mensagem tão valiosa fique com Deus, Fabiana

Pastor Almir Tavares disse...

Prezado João Paulo,
Sua primeira pergunta é se nas condição citadas ainda há amor "entre" o casal. O problema da pergunta está na preposição "entre", pois o amor incondicional não se preocupa no amor "entre", mas no amor por. Ele ama de cá para lá, mesmo que não haja amor de lá para cá. O amor incondicional se preocupa com a direção do amor para o objeto amado. Interessante que ontem ouvi a seguinte definição : amor é um ato da vontade, que envolve as emoções, produzindo ações em prol do benefício do amado. Pode não haver amor "entre" o casal, da mesma forma que não havia amor entre os homens e Deus, mas aquele que ama incondicionalmente irá amar o seu cônjuge.
Aqui cabe uma explicação de que amar incondicionalmente não é fazer tudo que o outro quer, mas fazer tudo para o bem do outro. Nem sempre o que o outro quer irá produzir o seu bem. Podemos ilustrar com a seguinte situação: uma esposa entra em desespero e quer se atirar da janela de seu apartamento, se seu marido a ama, ele fará tudo o possível, indo contra a vontade dela, para impedir. Porque isto não é o melhor para ela. O amor incondicional ama sabiamente, buscando a orientação na Palavra de Deus e em oração, para saber o que é o bem para o outro.

Pastor Almir Tavares disse...

Continuando João Paulo,
Sua segunda pergunta é sobre o divórcio. Jesus a respondeu quando disse que ele é permitido no caso de relações sexuais ilícitas (Mateus 19.9). O cônjuge que é deixado pode continuar amando incondicionalmente, mas agora, a forma de amar muda. Mas ele continua buscando o bem daquele que o deixou, não como cônjuge, mas como amigo e/ou irmão em Cristo. Podemos ilustrar com o pai do filho pródigo, aceitou a saída do filho, mas continuou amando.
Se por acaso foi ele que teve de deixar, este deixar deve ser movido também por amor. Novamente, é possível continuar amando incondicionalmente, sem continuar sendo o cônjuge.
A separação ocorre entre crentes por conta da dureza do coração, como Jesus disse (Mateus 19.8), de um ou de outro.

Quanto a quarta pergunta: o amor entre o casal não deve, mas pode acabar, quando não é nutrido pelo amor de Deus. Nosso amor pelos outros (não apenas o cônjuge) deve ser nutrido não pela reação deles, mas pelo amor incondiocional de Deus por nós.
Obrigado pelas perguntas. Elas me obrigam a pensar mais, e afinar as posições. Um abraço

Caetano disse...

Este texto realmente retrata o dia-a-dia de muitos casais atualmente. Nos deparamos com a incrível possibilidade de operarmos amando incondicionalmente com auxílio do espirito santo. Obviamente que amar incondicionalmente não é algo de nós carnalmente pois é impossível.Pastor quero lhe fazer uma pergunta comento que às vezes vem a minha mente que nas condições colocadas no texto parece que amar incondicionalmente é parecido com humilhar-se para o outro, mas sei que não é assim, pois deve ser de forma sábia!Você poderia comentar sobre isto? Abraço!