terça-feira, 24 de novembro de 2009

CERTEZAS PARA TEMPERAR NOSSAS TRISTEZAS


A função do tempero é realçar o sabor de um alimento. Mas, às vezes, ele também pode conferir um sabor diferenciado. Esta segunda função é de muita utilidade quando precisamos comer alimentos que não apreciamos. O tempero nos ajuda ao disfarçar o sabor original com outro mais aceitável ao nosso paladar. Podemos dizer que neste caso o tempero desempenha uma função terapêutica, pois nos ajuda a comer o que precisamos, mesmo quando não gostamos.

Precisamos de tempero também em nossas vidas. Para nos ajudar a conviver com fatos e notícias que de outra forma não suportaríamos, por serem semelhante a alimentos desagradáveis. Um destes fatos é a morte.

Neste sábado (21/11/2009), fomos abatidos com a notícia do falecimento de Evelyn Geraldine Olson Willson, mais conhecida como Dona Eveline. Ela nasceu em 06 de janeiro de 1918. No início da década de 40, ainda jovem e solteira, veio ser missionária em Juazeiro do Norte. Algo surpreendente, pois na época os daqui buscavam lugares considerados mais desenvolvidos para viverem. Aqui casou-se com outro jovem missionário: Tomé Willson (aparece na foto junto com ela), e tiveram cinco filhos: Débora, Natã, Marcos (que trabalha no Brasil como missionário e professor no SBC) , Felipe e Marta. Auxiliou na formação de igrejas e ensinando no Seminário Batista do Cariri até 1965, quando acompanhou seu marido de volta aos EUA, onde ele trabalhou como pastor até 1971.

Retornando ao Brasil, trabalharam no mesmo seminário até 1996, quando se aposentaram. Ela atuou como professora, secretária e tesoureira. Também ajudou nas Uniões Auxiliadoras Femininas do Estado (USAF). De 1981 até 1988 ajudaram na Igreja Batista do Novo Juazeiro, e de 1988 até 1996, na Igreja Batista Betel, ambas na cidade de Juazeiro do Norte.

Dona Eveline estava doente há alguns anos. Mas a morte sempre nos surpreende e entristece. Mesmo sabendo que ela ocorrerá mais cedo ou mais tarde, nunca nos acostumamos com ela. Ainda bem que nossa tristeza é bem temperada com certezas.

A certeza de que há Alguém que mantém a morte sob Seu poder. A morte não escapa ao controle de Deus. Toda nossa vida está nas mãos de Deus. Como o Senhor Jesus ensinou, um pardal não cai sem o consentimento de Deus, e até os fios de cabelo de nossas cabeças estão contados (Mateus 10.29,30). Sendo assim, a morte de dona Eveline ocorreu no dia e da forma planejados por Deus.

A certeza de que os planos de Deus são sábios e amorosos. Ele faz com que todas as coisas cooperem para o bem de Seus filhos e para Sua Glória, que são propósitos que se complementam. Sendo assim, a morte de dona Eveline está glorificando a Deus e sendo melhor para ela e para os seus que ficam (Rm 8.28; Fp 1.20).

A certeza da salvação. Dona Eveline testemunhou confiar em Jesus como seu único e suficiente Salvador. Reconhecendo que era pecadora, como todos nós. Também acreditou na mensagem da Bíblia de que, a morte de Cristo na cruz é suficiente para expiar o pecado de todo pecador que se aproxima de Deus com arrependimento (Rm 10.9). Por isso acreditamos que ela morreu salva por Cristo.

A certeza da imediata presença de Deus. Para aqueles que falecem seguindo a Cristo existe a promessa de entrar imediatamente na presença de Deus (Lc 16.22ª;23.43; At 7.55,56,59; Fp 1.21,23). Por causa disso acreditamos que dona Eveline se encontra num estado sem comparação em termos de alegria, que é a presença de Jesus Cristo.

A certeza da ressurreição e de que morte não é o fim. Jesus prometeu aos que crêem Nele que não morreriam para sempre (Jo 25,26). A ressurreição é uma promessa garantida pela própria ressurreição do Senhor Jesus (1 Ts 4.14-16). Esperamos o dia quando dona Eveline, e todos os seguidores de Cristo, com corpos transformados, serão ressuscitados para uma vida gloriosa com o Senhor (1 Co 15.52).

A certeza da recompensa pelo trabalho realizado. Dona Eveline dedicou a maior parte de sua vida para servir a Deus servindo aos outros. Além de cuidar de seus cinco filhos, cuidou dos filhos de muitos outros que vieram estudar no SBC (inclusive eu). Ensinou a Palavra a muitos, orou por muitos, contou muitas histórias bíblicas para crianças, aconselhou, visitou, discipulou, etc. Com certeza ele não tomou conhecimento do resultado pleno deste trabalho, também nem sempre recebeu aqui na terra a recompensa merecida. Mas, ela não desanimou, e um dia ela verá o resultado pleno e final de seu esforço, e receberá do Senhor a recompensa eterna (1 Co 15. 58).

A certeza de que a vida dela continuará falando, mesmo depois de morta. O que ensinou, o exemplo que foi, as pessoas que impactou e influenciou, continuarão demonstrando os frutos da vida de dona Eveline. Ela continua a falar através de nós.

Os que estão seguindo a Cristo podem temperar suas saudades e lágrimas, com orações pelo esposo e filhos, a gratidão de Deus nos ter permitido desfrutar de Sua graça através da vida desta serva, e também estas certezas e a esperança de um: até breve dona Eveline!

7 comentários:

Marcos Aurélio Melo disse...

Não tive a oportunidade de conhecer pessoalmente a missionária Eveline, mas pelas palavras deste texto percebo que foi uma grande serva do Senhor.
Parabéns pelas palavras bem temperadas, diante de um fato que nos causa tristeza!
Um abraço.

Sérgio Gledson, disse...

As palavras podem resumir e também refletir como as pessoas são. No caso de Dona Eveline, elas cumprem satisfatoriamente os dois sentidos. Pois, ainda testemunharemos pela vida do Pr. Tomé, filhos e netos às muitas lições e ensinamentos inseridos por ela em seus corações, e, certamente aos nossos também!
Parabéns, o senhor foi muito feliz na escolha de cada uma das palavras!
Um grande abraço!

iaci disse...

Ela foi uma mâe para mim. Me ensinou até com o seu silêncio.

Antonio disse...

Tive o privilegio de conhecê-los pessoalmente, e muito aprendi com os mesmos.
Meus parabéns pelas oportunas palavras.
Neste momento de muitas SAUDADES.
Alguém disse certa vez:
"SAUDADES SIM, TRISTEZAS NÃO"
DEUS POR NÓS!
Abraços.
AntonioTavares.

Cicero disse...

Tive o imenso prazer de conviver com esse casal maravilhoso. Fico triste em saber que D. Eveline já não está conosco, mas com a certeza que ela está muito feliz por estar junto ao nosso Deus.

Sintique disse...

Ela está na Glória, mas deixa lembranças e saudades, muitas saudades!
Tive a oportunidade de ajudá-la nas tarefas domésticas e, assim, fui agraciada com os aromas maravilhosos vindos de sua cozinha. Uma cozinheira de mão cheia!
Mas o melhor tempero era o seu sorriso!
Não estou triste! Alegro-me em saber que ela deixou muitos legados, viveu plenamente sua vida cristã e familiar. Devo me espelhar na sua pessoa.
Louvado seja Deus!

v.oliveira disse...

Este casal teve uma grande importância no início do trabalho de Deus em Vacarias, muitos aqui se converteram através deste casal. Meu pai e minha mâe foram alunos de seu Tomé no seminário. D. Eveline está no gozo do Senhor agora, mas seu Tomé ainda presisa de nossas orações, sua saúde é frágil. Mantemos contatos com seu filho Marcos wilson recetemente.