segunda-feira, 21 de janeiro de 2013

O PASTOR DO SALMO 23

Se você já leu com atenção o Antigo Testamento, deve ter percebido que às vezes o nome SENHOR, aparece com todas as letras maiúsculas, e outras apenas com o S maiúsculo, e as demais letras minúsculas (isso ocorre nas versões tradicionais da Bíblia). Já se perguntou por que é assim?
Grafar a palavra SENHOR com todas as letras maiúsculas foi a maneira que nossas versões escolheram para traduzir o nome pessoal de Deus.
A palavra “Deus”, como aparece na Bíblia, não é um nome, mas um título, que com o passar do tempo foi usada como um nome. Este processo acontece em várias línguas. Na língua portuguesa poderíamos exemplificar com o termo “professor”, que designa a função de quem ensina. Com o tempo passou a ser usada como um título. A pessoa que ensina geralmente é conhecida como “professor Fulano de Tal”. Em alguns casos a palavra é usada como um nome identificando uma pessoa, exemplo: “fale com o professor”. E ainda há casos, em que o nome mesmo da pessoa é esquecido e ela é apenas conhecida como “professor”.
O mesmo ocorre com a palavra “pastor”, que designa uma função, mas é usada como um título, e em alguns casos confundida com um nome. Talvez, se você chegasse à igreja onde sirvo, apontasse para mim, e perguntasse: “qual o nome daquele homem?”, alguém respondesse: “Pastor Almir”.  É como se “pastor” fizesse parte do meu nome.
Isso também ocorreu com a palavra “Deus”, era um título, designando um ser divino.  Mas os deuses tinham nomes. E no caso do Deus das Escrituras Seu nome era grafado com quatro consoantes, mas sem vogais, semelhantes a estas que aparecem no quadro ao lado. Havia a forma reduzida “Yah ou “Jah”, que aparece na palavra Aleluia, e nos nomes Josué e Elias.
Acredita-se que no início da história do povo de Israel todos conheciam a pronúncia. Mas a partir de certa época, o nome não era mais pronunciado, quando queriam se referir a Ele, os israelitas usavam outros nomes, tai como Adonai, El, etc. Assim a pronúncia ficou esquecida.
Em séculos mais recentes admitiu-se a pronúncia “Jeová” (as consoantes do nome com as vogais de Adonai). Hoje acredita-se que a pronúncia mais de acordo com os tempos bíblicos seja “Javé”, “Iavé” ou “Iaoé”. Sempre que aparecer no Antigo Testamento o termo SENHOR, com todas as letras maiúsculas, saiba que está se referindo ao nome pessoal de Deus.
No salmo 23, este nome aparece duas vezes: no início e no final. De fato é a primeira palavra do Salmo.  Ela identifica o pastor do salmo.
“O SENHOR é o meu pastor!” Mas você conhece o seu Pastor?
Nos tempos bíblicos, os nomes eram mais que modos de distinguir e identificar as pessoas, também marcavam o que a pessoa era, ou havia sido, ou mesmo o que seria. Eles tinham significado, descreviam as pessoas e expressavam a sua essência (caráter, função, posição, aspecto físico, evento marcante da vida, etc.).
Alguns exemplos: “Abrão”, que significa “pai exaltado”, foi mudado para “Abraão”, que significa “pai de muitas nações”, por causa da missão que Deus lhe deu (Gn 17.5). Isaque significa riso, referindo ao fato que foi motivo de riso (Gn 21.5,6). Nabal significa “Insensato”, pois era isso que este homem era (1 Sm 25.25). E assim por diante.
Em nossa sociedade isto pode acontecer com alguém. A função ou mesmo um traço do caráter pode designar alguém. Pode-se nomear as pessoas como Fulano mecânico, Beltrano professor, ou ainda Sicrano Valentão. 
E o nome SENHOR, significa o quê?
            Em primeiro lugar este nome indica que Deus é uma Pessoa e não uma força abstrata. Ele é um ser pessoal. Na língua hebraica a origem do nome é o verbo “ser”. Seu significado é destacado na revelação que Deus faz a Moisés em Êxodo 3.12-16. O nome já era usado, mas o significado redentor só é revelado a Moisés. Ele era o Deus que estivera com os pais daquela nação, agora estava com Moisés e visitava o povo no Egito, e ainda seria lembrado assim, de geração em geração. É como se Deus dissesse a Moisés “Eu estou presente é o que Sou”. Ele é uma presença fiel, um Deus sempre presente (Jo 8.58).  
Este é o nome de uma pessoa que trata com outras pessoas. O nome expressa a proximidade e o cuidado de Deus para com Seu povo. Manifesta que Ele é o Deus que se revela de forma salvadora (Ex 3.16-20).  Ele fala, ouve, vê, cheira, busca, entristece-se, julga, manifesta sua graça e age (Gn 4.6,9,13,16; 8.21).  Também as pessoas podem se comunicar com Ele (Gn 4.26). Por isso é chamado de o Deus de Sem, de Abraão, de Isaque, e de Jacó (Gn 9.26; Ex 3.15).
            É o Deus Criador de todos e de cada homem (Ex.4.11). Também é o Deus Todo-Poderoso (Gn 17.1); o Deus Altíssimo (Gn 14.22); o Deus Eterno (Gn 21.33); o Deus que providencia a salvação (Gn 22.14); O Deus dos Exércitos, o Senhor da Guerra (Ex 15.3; Oséias 12.5); o Deus que sara (Ex 15.26); o Deus Zeloso e Santo (Ex 20.2; 31.13; 34.14; Lv 11.44s); o Primeiro e o Último, Senhor da História e único Salvador (Is 41.4; 43.10; 44.6; 48.12-13; 49.6,26).
            Ele mesmo se chamou de SENHOR pela primeira vez em Gênesis 15.7, quando afirmou que havia tirado Abraão de Ur dos Caldeus para lhe dar aquela terra, mostrando Sua Soberania sobre os homens e sobre a terra. Ele se definiu e foi definido em títulos; ações que empreende (Criação, redenção, revelação); deu-se a conhecer por Seus atos poderosos. Ele escolheu um povo, e fez aliança com esse povo, para abençoar todas as nações.
Ele é o Único Deus, o único soberano sobre a vida e a morte           , nada nem ninguém é superior a Ele: Vede, agora, que Eu Sou, Eu somente, e mais nenhum deus além de mim; eu mato e eu faço viver; eu firo e eu saro; e não há quem possa livrar alguém da minha mão.” (Deut 32.39)
            O Pastor do Salmo 23 é um Ser Pessoal, Eterno, Todo-Poderoso, Soberano e que se relaciona de modo pessoal com Suas ovelhas. 

4 comentários:

Soraya Missões Com Surdos disse...

Amém! Grata pela postagem Pr. Almir! Abraço! Deus abençoe!

Soraya Missões Com Surdos disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
António Jesus Batalha disse...

Irmão Almir ao passar pela net encontrei o seu blog, estive a ler algumas coisas e posso dizer que é um blog fantástico, texto muito bom, se me permite eu diria que O Ser a quem chamamos Deus, acredito que não tenha nome próprio, no entanto como tinha de lidar com a humanidade usou nomes, que dependiam da situação, eu tenho o hábito de ensinar que O Pai O Filho e O Espírito Santo formam um Deus , Um Governador, Um Mestre.
Dou-lhe os meus parabéns.
Se desejar fazer parte de meus amigos virtuais esteja à vontade, decerto que irei retribuir seguindo também o seu blog.
Sou António Batalha, do Peregrino E Servo.

Anônimo disse...

Pastor Almir amei suas explicações a respeito da palavra SENHOR; muito interessante seu blog!
ass: Fábio de melo da silva.